Servidores do Campus vão atuar no suporte e apoio técnico ao HU/UEL

Servidores do Campus vão atuar no suporte e apoio técnico ao HU/UEL

Técnicos reforçam as áreas de Recursos Humanos, manutenção, inclusive com atuação em Laboratórios ligados à saúde.

Pedro Livoratti

Agência UEL


Um grupo de 12 servidores técnico-administrativos do Campus iniciou nesta segunda-feira (29) período de trabalho no Hospital Universitário (HU/ UEL) como suporte e retaguarda ao setor da Universidade que mais sofre os impactos da pandemia do novo Coronavírus. A relocação dos servidores será válida inicialmente pelos próximos 30 dias, período considerado crítico. O HU/UEL é a unidade regional de referência no atendimento à Covid-19, na chamada região Macro Norte de Londrina, que abrange 97 municípios.

Os servidores foram recepcionados pela manhã no Anfiteatro do Hemocentro. Os agentes começam a trabalhar imediatamente em setores administrativos, reforçando as equipes que atuam na unidade. O tempo de atuação do grupo poderá variar, dependendo da demanda do Hospital. Os servidores do Campus vão reforçar as áreas de Recursos Humanos, manutenção de equipamentos e nos laboratórios dos setores ligados à saúde.

O reitor da UEL, Sérgio Carvalho participou da recepção do grupo de servidores, hoje pela manhã, acompanhado do vice-reitor, Décio Sabbatini Barbosa. Segundo o reitor, é no HU que a Universidade se faz mais presente junto à sociedade, nesse momento de enfrentamento da segunda onda da pandemia.

“Entendemos que o Hospital Universitário é o principal setor da UEL que está sofrendo nesse momento em que todos os serviços de saúde se encontram lotados. Estamos fazendo todo o esforço possível para dar o suporte para que o HU continue prestando o atendimento de qualidade reconhecido por toda a população”, considerou.

Segundo o reitor, essa relocação foi uma iniciativa da administração da UEL, que incentivou servidores a atuarem temporariamente para realizar um trabalho de suporte. “A ideia é colaborar. Mitigar um pouco o stress e o sofrimento que os colegas estão passando”.

Relatório – Em entrevista coletiva realizada na última sexta-feira (26), no Campus da UEL, a 17ª Regional de Saúde divulgou relatório técnico que apontou o esgotamento do sistema de saúde público e privado de Londrina, frente à grande demanda provocada pelo tratamento de pacientes positivados com COVID-19. Representantes de todos os Hospitais cobraram providências da Prefeitura de Londrina para conter a transmissão do vírus e consequentemente desafogar as unidades de saúde. Na última sexta, a região registrava fila de mais de 130 pacientes aguardando leitos de UTI.

A diretora superintendente do HU/UEL, Vivian Feijó, afirmou que neste primeiro ano de enfrentamento da Covid-19 já foram realizados 12 mil atendimentos, sendo 4 mil com diagnóstico positivo. Nesta segunda-feira, o Hospital registrava 113% de ocupação, com 65 pacientes à espera de vaga para tratamento, de acordo com boletim divulgado pela manhã. Ao todo são 297 leitos específicos para tratamento do Coronavírus.

(FOTO: Divulgação).

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também