Projeto Safety do CCS publica cartilha sobre violência contra mulher

Projeto Safety do CCS publica cartilha sobre violência contra mulher

Material informativo foi elaborado por alunas da pós-graduação e da graduação da área de saúde.

Beatriz Botelho

Agência UEL


O Grupo de Trabalho em Violência Contra as Mulheres (GTVCM), do Projeto Safety, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), elaborou a cartilha “Violências contra as mulheres no contexto da pandemia da Covid-19”, uma ferramenta de consulta para mulheres, profissionais dos serviços de atendimento à saúde e demais interessados. O material reúne informações sobre a situação das mulheres durante a pandemia, além de listar contatos e endereços dos setores para denúncia de casos de violência. 

A cartilha é organizada pelas mestrandas do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da UEL, Josiane Maia e Giovana Mourinho, coordenadoras do grupo de trabalho. Também conta com a participação de estudantes do curso de Enfermagem. “É um material prático, visual e de fácil acesso de como buscar proteção e cuidado”, afirma Giovana. 

(Divulgação/Safety).

A violência contra a mulher é uma “pandemia invisível”, como citado pela diretora-executiva da ONU Mulheres e vice-secretária geral das Nações Unidas, Phumzile Mlambo-Ngcuka. Ela é categórica ao afirmar que a violência já existia muito antes da pandemia da Covid-19 e se intensificou com a necessidade de isolamento social. “Só tende a piorar se não forem pensadas medidas de prevenção. É algo histórico na nossa sociedade, no patriarcado”, explica Giovana Mourinho.

Cartilha tem 20 páginas

O material foi elaborado a partir de estudos feitos pelo GT, que acompanha as matérias publicadas sobre violência contra a mulher desde o início da pandemia. As notícias foram agrupadas e publicadas no Boletim Informativo sobre a Covid-19, organizado semanalmente pelo Projeto Safety, e no perfil @projetosafety.

A cartilha é o fechamento dessa produção feita pelo grupo de trabalho. Com 20 páginas, ela aborda os seguintes temas: tipos de violências, interseccionalidades, relação entre saúde e violência contra as mulheres, a rede de enfrentamento, como identificar a violência e como buscar ajuda.

Além das organizadoras, a obra tem como autoras as estudantes Amanda Caroliny Gomilde, Amanda Souza Silva, Camila Alves Ferreira, Giovana Maria Mourinho Ferreira, Josiane Maia Nunes, Louise Leonor e Vitória Regina dos Santos Silva; e revisão da professora Sandra Lourenço, do Departamento de Serviço Social, do Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESA). 

Pesquisas – O interesse das mestrandas em participar do GTVCM se dá pelas pesquisas que conduzem na Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Ambas estudam a Rede Municipal de Enfrentamento à Violência Doméstica, Familiar e Sexual contra às Mulheres do Município de Londrina. Giovana Mourinho avalia a Rede a partir da perspectiva das mulheres, e Josiane Maia, a partir da perspectiva dos profissionais. A defesa da dissertação ocorre no início de 2023.

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também