Universidade reforça Aintec para alavancar política de inovação

Universidade reforça Aintec para alavancar política de inovação

É a fase seguinte de implantação da Política de Inovação de Ciência e Tecnologia da Universidade, aprovada no início de setembro.

A Agência de Inovação Tecnológica da UEL (AINTEC) passa a contar com dois docentes para atuar em várias frentes, com o objetivo de alavancar a política de inovação da instituição, agilizar processos internos, reduzindo a burocracia, e atualizar normas e ferramentas. São os professores Admilton Gonçalves de Oliveira Júnior (Departamento de Microbiologia/CCB) e Têmis Chenso da Silva Rabello Pedroso (Departamento de Direito Privado/CESA), que terão parte da carga horária dedicada à Agência em suas respectivas expertises: a prática e experiência em pesquisa e produção, e o conhecimento jurídico.

A participação dos dois professores é parte da fase de implantação da Política de Inovação de Ciência e Tecnologia da Universidade, aprovada pelo Conselho Universitário no início de setembro, e que tem o objetivo de estimular a inovação, negociar e gerir acordos de transferência e licenciamento de tecnologia, assim como normatizar a gestão da propriedade intelectual e da transferência de tecnologia.

Segundo o reitor da UEL, professor Sergio Carlos de Carvalho, os professores representam um reforço na equipe da Aintec, que sofre com a falta de pessoal como toda a instituição, e vêm colaborar em ações estruturantes necessárias a serem realizadas na Agência, que apesar de tudo já é a melhor entre as universidades estaduais do Paraná.

Ações com foco na inovação

Entre as ações, estão treinamentos focados na inovação, o que contará com o apoio da Procuradoria Jurídica da UEL. Com isso, afirma o reitor, a expectativa é que haja menos burocracia e os processos internos sejam agilizados. Além disso, os professores atuarão na atualização do Regimento da Aintec e de outras normativas relacionadas à propriedade intelectual, observando modelos avançados como o da Universidade de Campinas (UNICAMP), e com a perspectiva de expansão, por exemplo, contando com o fomento privado. Também trabalharão na previsão e regulação da realização de projetos e na constituição do Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação da UEL, e definição das áreas prioritárias de CT&I para a Universidade.

Serviço à população

Para o reitor, a UEL já é a mais adiantada no estado e se destaca no estabelecimento de marcos, pois a Aintec há alguns anos tem obtido reconhecimento em nível regional, estadual e até em indicadores internacionais. “Agora, com uma ação mais orgânica, a Aintec poderá potencializar sua atuação. Assim, quando a UEL gera produtos, serviços e políticas públicas que chegam à população, a instituição cumpre sua tarefa de melhorar sua qualidade de vida. À Universidade cabe descobrir o canal, através da inovação e da ação conjunta entre público e privado, para chegar a esta população”, afirma. Ainda em sua avaliação, o reitor enfatiza que a inovação complementa e enriquece a UEL, que se torna maior, extrapolando suas atividades tradicionais de ensino, pesquisa e extensão.

vestibular UEL 2023 inscrição
vestibular UEL 2023 inscrição
Vestibular-2023-uel
Vestibular-2023-uel
previous arrow
next arrow
Leia também