Sólida reputação da UEL atrai candidatos dos quatro cantos do país

Sólida reputação da UEL atrai candidatos dos quatro cantos do país

Jovens de estados distantes contam os motivos da escolha, além dos percalços até a aprovação e convocação pela UEL.

Willian C. Fusaro

Agência UEL


A UEL recebe, a cada edição do Processo Seletivo Vestibular, muitos estudantes de estados vizinhos, principalmente de São Paulo. Os paulistas representam cerca de 20% dos selecionados no Vestibular 2021 e são de longe os que mais procuram a Universidade, tanto pela proximidade quanto por ser um estado muito populoso. Porém, a UEL também recebe estudantes de muitos outros estados, embora em menor número do que os dos estados vizinhos. São exemplos disso candidatos de estados como Piauí e Bahia.  

A última edição do Vestibular, cuja lista dos classificados em 1ª convocação saiu no último dia 5, foram, entre os 2289 convocados, 31 estudantes de estados do Centro-Oeste e Nordeste, entre outros (ver box). Os estudantes paranaenses aprovados no Vestibular 2021 somam 1888, e os paulistas, 370.

Com o sonho de conquistar uma vaga em um dos cursos de graduação da Universidade, os vestibulandos de estados distantes se programam, guardam dinheiro, estudam, passam por apuros e planejam durante um ano inteiro a vinda para Londrina. Em um cenário de pandemia, esse processo, já muito trabalhoso em tempos normais, torna-se uma verdadeira odisséia. Abaixo, conheça duas histórias de estudantes que chegaram ao final do percurso depois de muitos imprevistos e dificuldades, contornados por grandes doses de empenho e dedicação.

Conquista: Ayala Thaís Ribeiro Lopes vai cursar Odontologia e Pedro Henrique Pereira da Silva, Biotecnologia (FOTOS: Arquivo pessoal).

Ayala, 23 anos – Teresina (PI)

Foi por esse caminho de incertezas, porém de recompensas, que trilhou a ingressante do curso de Odontologia, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), Ayala Thaís Ribeiro Lopes. A jovem de 23 anos, moradora de Teresina, no Piauí, começou a cursar Artes Visuais na Universidade Federal do Piauí (UFPI), mas, antes de concluir o curso, viu-se em uma encruzilhada: sempre gostou das artes, mas não era mais feliz na área que havia escolhido. Decidiu, numa reviravolta enorme, cursar Odontologia a 2800 quilômetros de distância, no Norte do Paraná.

“No começo, ninguém entendeu nada. Eu já trabalhava com cultura, como tatuadora também, e um dia não quis mais”, comenta a estudante. A preparação para voltar aos estudos em um cursinho se deu ainda antes da pandemia. Com o início do isolamento social, prosseguiu sozinha nos estudos pela dificuldade de acompanhar as aulas online. “Meu namorado, Renan, já estudava em Londrina, o que também me ajudou”, comenta.

Ayala seguiu 2020 nos estudos enquanto guardava dinheiro para realizar a mudança para o Sul. Programou a viagem, reservou estadia, comprou passagens. Viu amigos desmoronarem pela pressão da aprovação e tentou, ao máximo, controlar a ansiedade. Com o agravamento da situação sanitária e a mudança da data do Vestibular 2021, de março para maio, viu-se novamente em apuros. “Tive que trocar as passagens e surgiram problemas com as escalas, porque precisava passar em Brasília antes. Foi difícil”, desabafa. Ao todo, conta que suas reservas foram canceladas seis vezes.

Em Londrina, a estudante conta que se deparou com um Vestibular bastante acessível, do ponto de vista de um estudante em um cenário de isolamento social. “As mudanças na prova foram bem positivas e condizentes com o que os estudantes passaram”, avalia. A insegurança de sair do Nordeste para tentar recomeçar os estudos no Sul também passou logo de cara. “Tenho 49 tatuagens e pensei que isso, somado ao fato de vir do Piauí, fosse dificultar pelo preconceito. Mas encontrei muitas pessoas acolhedoras”, diz.

Pedro, 19 – Luis Eduardo Magalhães (BA)

O calouro de Biotecnologia Pedro Henrique Pereira da Silva,19 anos, também encontrou cenário adverso quando começou a fazer os cálculos da mudança de vida que pretendia fazer. Sair de Luís Eduardo Magalhães, cidade de 90 mil habitantes ao extremo Oeste de Salvador, na Bahia, com destino a Londrina, 1600 quilômetros de distância, exigia muito planejamento. Para isso, contou com a ajuda do primo, estudante de Programa de Pós-graduação na UEL ( mestrado), que o ajudou a conhecer a cidade e a se preparar.

“A minha região é muito conhecida pelo investimento do agronegócio, pelo plantio de milho e soja, assim como a região de Londrina, o que imaginei que seria importante para crescimento profissional. Foi um dos fatores para me inscrever”, afirma. Nesse momento, começou a compra de passagens e os planejamentos, todos devidamente sabotados pela pandemia do coronavírus e as incertezas do futuro. “Tive que remarcar tudo. Fui até Brasília de ônibus e acabei voltando de ônibus também, sem poder viajar para Londrina. Foram 14 horas, ida e volta. Sem contar os custos”, comenta.

Depois da primeira mudança de data, decidiu se antecipar. Chegou a Londrina duas semanas antes para o exame. “Se fosse remarcado, eu ficaria. Aproveitei para conhecer a cidade e me adaptar. De cara, estranhei o frio”, comenta o estudante, acostumado ao calor constante do Oeste da Bahia. Pedro entrou pelo sistema de cotas para negros e participou de banca de avaliação da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), que atesta a veracidade das informações do candidato em uma entrevista.” Achei bastante importante, deram todo o apoio”, ressalta.

Há um mês do início das aulas, o estudante demonstra entusiasmo. Pesquisou sobre o curso – recentemente implantado na Universidade, em 2020 – e não vê a hora de começar os estudos e interagir com a turma. “Estou ansioso para o início das aulas e bastante focado”, afirma.

Paraná é o estado com mais convocados, o total de 1888 (FOTOS: Arquivo/COMUEL).

Ensino, pesquisa, extensão e acolhimento

Para a responsável pela Coordenadoria de Processos Seletivos (COPS), Sandra Regina de Oliveira Garcia, a UEL vem se destacando como Universidade acolhedora por seu desempenho nacional. “Somos uma Universidade reconhecida nacionalmente, por não dissociar ensino, pesquisa e extensão. A procura por estudantes de todo o País reforça o compromisso com a qualidade do ensino e a formação profissional e humana”.

O Vestibular 2021 ocorreu no dia 30 de maio e mobilizou mais de 16 mil candidatos de todo o Brasil, respeitando os protocolos sanitários impostos pelas autoridades em Saúde. O resultado da 1º convocação foi divulgado na última segunda-feira, dia 5. O ano letivo começa em 2 de agosto.

Confira abaixo a quantidade de candidatos aprovados por estado:

PR: 1888

SP: 370

SC: 11

MS: 7

GO: 4

MG: 3

MT: 3

RJ: 1

PI: 1

BA: 1

Divulgação do vestibular da UEL - 2021
Leia também