Aplicação ganha certificados Ouro e Diamante por desempenho no IDEB

Aplicação ganha certificados Ouro e Diamante por desempenho no IDEB

Ao todo 15 escolas do estado foram contempladas com o reconhecimento. O que coloca o Colégio na elite das escolas públicas estaduais.

José de Arimathéia

Agência UEL


O Colégio de Aplicação Pedagógica Professor José Aloísio Aragão foi um dos que recebeu o Certificado Diamante pelo desempenho de seus alunos no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Criado pelo governo federal em 2007 para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas, o IDEB é bienal e o último foi realizado em 2019. A diretora do colégio, professora Tânia Costa Fernandes (Departamento de Educação), esteve em Curitiba, dia 13, na cerimônia que conferiu os certificados.

O Certificado Diamante é uma premiação criada pela Secretaria Estadual da Educação e do Esporte e homenageia as escolas com os melhores desempenhos no último IDEB. Vale lembrar que o Colégio já havia recebido o Certificado Ouro, em cerimônia realizada no Teatro Marista, em Londrina, no dia 6 de agosto, e apenas 15 escolas do estado foram contempladas com o Diamante. Isto coloca o Aplicação na elite das escolas públicas estaduais.

Certificado categoria Ouro.

O certificado Ouro homenageia as escolas com os melhores índices e os maiores avanços (com relação ao IDEB 2017), divididas em dois grupos, por níveis socioeconômicos, tanto para o ensino fundamental II quanto para o ensino médio. Dentro de seu grupo, de escolas localizadas em áreas de maior nível socioeconômico, o resultado foi de 6,6 no Ensino Fundamental e 5,0 no Ensino Médio, colocando o Aplicação na terceira posição do EF e na quinta posição do EM no Núcleo Regional de Educação de Londrina.

O Paraná foi o estado com a alta mais expressiva desde o índice anterior, no Ensino Médio, subindo de sétimo para quarto lugar no país. Já no Ensino Básico, o salto foi do sétimo para o terceiro lugar nacional. Os dados mostram ainda que colégios de 90% dos municípios do Paraná alcançaram alta no desempenho de alunos do Ensino Médio, e que houve redução da diferença da nota entre o ensino privado e o ensino público no Paraná.

Certificado categoria Diamante.

Trabalho de equipe

Para a diretora do Aplicação, estes resultados são um reflexo direto do trabalho de toda a equipe do Colégio – corpo docente, corpo pedagógico e mesmo as famílias dos alunos, que se envolvem em sua educação. Segundo ela, é o seguimento a uma proposta pedagógica e a um trabalho sério e qualificado, pelo qual tanto ensino fundamental quanto médio acabam se destacando em todo o estado. “É um Colégio de Aplicação, onde são desenvolvidos projetos de ensino, pesquisa e extensão, o que vai ao encontro do que a Universidade oferece à população londrinense”, afirma Tânia Fernandes. Para ela, o reconhecimento também representa um agradecimento a todos os professores e outros profissionais que atuam no Aplicação.

História

Os Colégios de Aplicação foram criados por um decreto federal de 1946, com o objetivo de aprimorar a formação de educadores e servir de campo de experimentação pedagógica. O de Londrina nasceu “Ginásio Estadual de Aplicação”, em 20 de junho de 1960, ainda junto à Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Londrina, que veio a compor a UEL. Em 18 de setembro de 1967, o Ginásio se tornou Colégio. Atualmente, ele é órgão suplementar da Universidade, vinculado academicamente ao Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA).

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também