Bibliotecária defende tese sobre mediação da informação jurídica na rede Jusbrasil

Bibliotecária defende tese sobre mediação da informação jurídica na rede Jusbrasil

Pesquisa aborda a mediação da informação jurídica pelos operadores do Direito, área de Direito de Família, dentro da rede virtual Jusbrasil.

José de Arimathéia

Agência UEL


Eliane Maria da Silva Jovanovich, servidora da Biblioteca Central, tornou-se a primeira bibliotecária do Sistema de Bibliotecas da UEL a possuir o título de Doutorado, com tese defendida no dia 21 de outubro na UNESP/Marília, intitulada “A mediação da informação jurídica: estudo na rede virtual Jusbrasil”. Eliane trabalha no Sistema de Bibliotecas desde 1996 e em 2002 passou no concurso para bibliotecário. Por 10 anos, foi responsável pela biblioteca do Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos, onde o contato com estudantes e profissionais de Direito certamente exerceu influência sobre sua trajetória como pesquisadora.

A tese trata da mediação da informação jurídica pelos operadores do Direito especificamente na área de Direito de Família, observada em um contexto específico: a rede virtual Jusbrasil. Trata-se de uma plataforma com repertório completo de informações jurídicas acessada diariamente por mais de 1 milhão e meio de pessoas e utilizada por mais de 900 mil advogados. As informações no site incluem Jurisprudência, consulta a processos, doutrina jurídica, artigos científicos, Diários Oficiais, legislação e modelos, entre outros.

Servidora da UEL, Eliane Maria da Silva Jovanovich, concluiu doutorado na UNESP/Marília.

Perfil dos advogados

A pesquisa de Eliane mapeou o perfil de advogados usuários e analisou o comportamento informacional na busca, compartilhamento e utilização das informações que circulam na rede e como é o fluxo das informações jurídicas. A bibliotecária levantou 22 “atributos” do grupo pesquisado, como gênero, disponibilidade nas redes, interação e uso de novas tecnologias.

Embora o Jusbrasil esteja em várias mídias sociais, ela se concentrou no site. Numa primeira etapa, a pesquisadora delimitou o estudo em advogados atuantes em causas de divórcio e alienação parental (interferência de um dos pais ou avós na formação psicológica dos filhos). A seleção inicial contemplou 600 advogados, mas a pandemia prejudicou a pesquisa, e ainda nesta etapa o número caiu para 470.

Numa segunda etapa, Eliane reduziu o número de advogados pesquisados para 67, já tendo em vista o grau de engajamento, ou seja, o efetivo uso das mídias sociais e especificamente do Jusbrasil. Finalmente, na terceira etapa, a pesquisa fixou em 30 advogados, 15 atuantes nas maiores cidades do Paraná (Curitiba, Londrina e Maringá) e 15 das maiores cidades paulistas (São Paulo, Guarulhos e Campinas). Segundo a pesquisadora, os cinco mais influentes de cada uma.

Foram várias as ferramentas metodológicas utilizadas na pesquisa: questionários, interfaces (para levantar origem de dados), e fundamentação teórica, como a Análise de Conteúdo, que foca em textos comunicativos e analisa numericamente a frequência de ocorrência de determinados termos, referências e construções.

Dimensões

Eliane explica que a mediação, neste caso, envolve cinco dimensões abordadas na tese e confrontadas com a prática dos advogados pesquisados. São elas a dialógica, formativa, estética, ética e política. Quanto à primeira, a bibliotecária disse que foi fácil observar, pois a mediação propicia o diálogo e interação entre sujeitos. Já a formativa não foi tão expressiva pois, embora os advogados possuam grande entendimento de sua área, não necessariamente isso se traduz no melhor uso das mídias sociais e, especificamente, do espaço do Jusbrasil. A dimensão estética está relacionada, por exemplo, ao domínio da linguagem jurídica, o que também foi fácil constatar. A ética, segundo a pesquisadora, é muito importante, e o conteúdo analisado verificou comportamento ético. Igualmente importante a dimensão política, uma vez que está associada às próprias relações entre as pessoas.

O que Eliane concluiu é que os advogados dominam sua área de conhecimento, efetivamente promovem, com o uso do Jusbrasil, um estreitamento com a área de Informação, são conscientes disto, mas ainda é possível melhorar com mais engajamento, ou seja, utilização ainda mais ampla e intensa das ferramentas tecnológicas em geral. “Engajamento” é a palavra-chave, resume a bibliotecária.

Produção acadêmica

Além do trabalho habitual na Biblioteca Central e dos estudos, Eliane participa de um projeto de extensão, de eventos de divulgação científica e publica trabalhos. Fora da UEL, integra o Conselho Regional de Biblioteconomia 9ª Região, no qual coordena a Comissão de Divulgação e Valorização Profissional, e atua na gestão de conteúdo do CRB9-PR. Também cuida das redes sociais do EAAJ .

vestibular UEL 2023 inscrição
vestibular UEL 2023 inscrição
Vestibular-2023-uel
Vestibular-2023-uel
previous arrow
next arrow
Leia também