Colégio Aplicação da UEL é finalista na Olimpíada de Língua Portuguesa

Colégio Aplicação da UEL é finalista na Olimpíada de Língua Portuguesa

Estudantes do Ensino Médio foram destaque na categoria documentário.

Alunos do Ensino Médio do Colégio de Aplicação da UEL ficaram entre os 16 finalistas da 7ª Olímpiada de Língua Portuguesa, na categoria documentário. Nesta edição foram mais de 59 mil professores inscritos de 27.847 escolas de todo o país. A cerimônia de premiação foi realizada no último dia 10 de dezembro, em formato on-line pelo canal Olimpíada LP.

Esta é a primeira vez que o colégio chega à fase final, segundo a professora Marciane Cocchi Dorte, responsável pela disciplina de Língua Portuguesa, que participou de todas as edições da Olimpíada de Língua Portuguesa. Foi finalista a 2ª série B do Ensino Médio do Colégio de Aplicação,  com a produção de dois documentários de até cinco minutos: “Ninguém solta a patinha de ninguém” e “Tomi Nakagawa”, ambos dentro  da proposta do relato de prática “Metodologias Ativas: Protagonizando a aprendizagem por meio do gênero documentário”.

Marciane afirma que os estudantes tiveram autonomia para escolher o assunto a ser abordado, utilizando suas habilidades com a tecnologia. Ela ainda relata que houve grande preocupação em relação aos protocolos de biossegurança, porque a produção de documentário exigiu, além de pesquisa, gravação de imagens e entrevistas. “Eles fizeram as escolhas, reuniram o material e fizeram a edição de vídeo”, conta.

Este ano, participaram seis turmas do Colégio, sendo quatro delas da 2ª série do EM (turmas A, B, C e D), na categoria documentário, e duas do 9° ano do Ensino Fundamental (turmas C e D), na categoria crônica. A equipe finalista passou pelas etapas escolar, municipal, estadual e semifinal. “Foi emocionante chegar à final, apesar de todos os desafios com a pandemia”, afirma Marciane. Como prêmio, a professora e a turma receberão um leitor de livros digitais e certificado de participação. 

Documentário sobre ONG e Praça

Produzidos a partir da temática “O lugar onde vivo”, os estudantes do Colégio Aplicação buscaram organizações e espaços da cidade para serem retratados. O documentário “Ninguém solta a patinha de ninguém” é sobre a ONG ADA (Associação Defensora dos Animais). Foi produzido pelos estudantes Anna Giulia Alves, Heloísa Almeida e Rafael Lopes.

Documentário sobre a ONG Associação Defensora dos Animais (ADA)

Já o documentário “Tomi Nakagawa”, é sobre a praça japonesa da região central de Londrina. Foi elaborado pelos alunos João Lucas Andrade Minikoski da Silva, Bruno Rocha e Julia Odin Dama. 

Os primeiros classificados na categoria documentário foram escolas de diversas regiões do país: duas do Rio Grande do Norte, uma do Espírito Santo e uma de Minas Gerais. A relação está disponível na página da Olimpíada de Língua Portuguesa

Participantes – Nesta edição, participam professores de Língua Portuguesa com estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio de escolas públicas de todo o Brasil. Eles foram divididos em categorias: artigo de opinião (3ª série do EM), documentário (1ª e 2ª séries do EM), crônica (8° e 9° anos do EF), memórias literárias (6° e 7° anos do EF) e poema (5° ano do EF).

Como novidade, o concurso deste ano trouxe a participação dos professores. Eles foram responsáveis pela redação de relato sobre o trabalho desenvolvido junto as turmas para. Além disso, foram selecionados materiais audiovisuais e registros do percurso.

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também