Superação e alívio marcam 1ª formatura presencial desde o início da pandemia

Superação e alívio marcam 1ª formatura presencial desde o início da pandemia

Formandos dos cursos de Medicina, Engenharia Civil, Fisioterapia, Pedagogia, Serviço Social e Educação Física colaram grau nesta terça-feira (21).

O total de 92 formandos dos cursos de Medicina, Engenharia Civil, Fisioterapia, Pedagogia, Serviço Social e Educação Física colaram grau nesta terça-feira (21) durante cerimônia de formatura especial, realizada no Anfiteatro Cyro Grossi, no Centro de Ciências Biológicas (CCB), no Campus Universitário. Foi a primeira solenidade presencial oficial da UEL, desde março de 2020, quando em função da pandemia, estudantes, professores e agentes universitários foram obrigados a manter o distanciamento social, com atividades remotas e virtuais.

Durante toda a cerimônia, formandos e convidados se mantiveram de máscara e o público se resumiu à capacidade do Anfiteatro, garantindo a segurança necessária. As falas dos representantes do Conselho Universitário acentuaram o longo período de aulas remotas e a superação de professores e estudantes para realizar todas as atividades neste longo período. As reações dos mais de 90 formandos demonstraram alegria e alívio.

A jovem Camila Stringuetta Gallo está entre os mais novos médicos formados pela UEL.

Caso da médica Camila Stringuetta Gallo, de apenas 23 anos. Ela resumiu que os estudos durante a pandemia exigiram coragem. Parte das aulas práticas foram realizadas quando os estudantes ainda não estavam vacinados e a população brasileira se surpreendia a cada dia com a quantidade de infectados e mortos pela Covid-19. No meio deste desafio, Camila perdeu o avô, de 78 anos, uma das vítimas da pandemia. Visivelmente emocionada, ela contou que a formatura reunia um sentimento de emoção, lembrança e saudade.

Já a fisioterapeuta Vitória Gonçalves compareceu à cerimônia de formatura acompanhada da mãe, Marcelei Gonçalves, cadeirante. As duas não escondiam a alegria da conquista, em plena pandemia. A concluinte pretende trabalhar de imediato aproveitando a abrangência que a área da fisioterapia ganhou nestes últimos anos em hospitais, clínicas e até no atendimento individual de pacientes em residência.

Recém-formada, a fisioterapeuta Vitória Gonçalves festeja a conquista junto da mãe, Marcelei Gonçalves.

Repercussão

Em seu discurso, o reitor da UEL, Sérgio de Carvalho, lembrou o juramento dos formandos que enaltece a ética profissional e o compromisso dos novos profissionais com os princípios profissionais e a construção de uma sociedade mais igualitária. “Gostaria de reforçar a estes jovens para serem fiéis aos princípios éticos evocados nesta cerimônia”, ressaltou ele. O reitor lembrou ainda do trabalho de toda a comunidade universitária durante a pandemia do novo coronavírus.

Além do atendimento referenciado prestado pelo Hospital Universitário (HU/UEL), dos milhares de testes realizados no Centro de Ciências da Saúde (CCS), a UEL foi responsável por centenas de pesquisas, serviços e atividades de extensão em benefício da comunidade. “Foi uma demonstração de honra de toda a Instituição”, resumiu o reitor.

Para a Pró-reitora de Graduação, professora Marta Favaro, estudantes e professores foam resistentes no enfrentamento dos impactos da pandemia. Ela ressaltou que, quase 20 meses, o processo de atividade acadêmica envolvendo mais de 13 mil estudantes de graduação exigiu logística, organização e o envolvimento de todas as instâncias da Universidade. “Estamos hoje celebrando um processo de formação e para nós é uma alegria, após esta reconstrução, termos aprendido a fazer diferente. É uma vitória da esperança”, frisou a pró-reitora.

Solenidade foi conduzida pelo reitor da UEL, Sérgio Carvalho, e contou a presença de membros do Conselho Universitário.

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também