Famílias de Assentamento Rural aprendem sobre produção de flores em Dia de Campo

Famílias de Assentamento Rural aprendem sobre produção de flores em Dia de Campo

Grupo visitou a Universidade na última quarta (15). Terceira edição do projeto visa agregar valor à produção das famílias da região.

O projeto de extensão Organização da Produção Coletiva de Polpa de Frutas em Assentamento Rural, do Departamento de Zootecnia, do Centro de Ciências Agrárias (CCA), realizou, na última quarta (15), um Dia de Campo com famílias do Assentamento Rural Iraci Salete, de Alvorada do Sul (PR).

Em sua terceira edição, o evento tem como objetivo melhorar e agregar valor às produções das famílias que integram o projeto. Com cerca de 10 participantes, o Dia de Campo ocorreu durante os períodos da manhã e tarde, com rodas de conversa sobre certificação de produtos orgânicos e precificação de produtos, além de visita às estufas do Orquidário da UEL.

Nesta edição, o Dia de Campo foi voltado à produção de flores, uma das atividades desenvolvidas pelas famílias que participaram do projeto. “Observamos nas visitas que eles produzem algumas mudas para vender, como rosas do deserto. Como a área é muito forte aqui no Departamento de Agronomia, conversamos com o professor Ricardo Faria, responsável pelo Orquidário, e vimos a possibilidade de trazer essas famílias em uma visita para elas olharem como é o sistema de produção, qual valor pode ser agregado em uma venda”, explica Adilson Luiz Seifert, professor do Departamento de Agronomia e colaborador do projeto.

Dia de Campo reuniu agricultores de assentamento rural na última quarta-feira (15)
Nesta edição, o Dia de Campo foi voltado a produtores de flores. Atividade contou com rodas de conversa sobre certificação de orgânicos e precificação de produtos, entre outros temas (Agência UEL)

No assentamento rural, as famílias trabalham coletivamente nas produções. O produtor Áquilas Júnior enfatiza a importância do evento para o trabalho desenvolvido no Iraci Salete. “Nós achamos interessante, vai bem na linha do que estamos buscando. Também conhecemos um pouco de variedades novas e formas de trabalho. Então, vai ser muito proveitoso. São coisas que vão acrescentar para além daquilo que já fazemos.”

Projeto

Além de transmitir conhecimentos técnicos, o projeto de extensão Organização da Produção Coletiva de Polpa de Frutas em Assentamento Rural, criado em 2008, visa contribuir para a inclusão das famílias de assentamentos rurais na Universidade. Atualmente, é coordenado pela professora Ana Maria Bridi, do Departamento de Zootecnia, e conta com a colaboração de professores e estudantes de Agronomia e Zootecnia.

“Essa visita não é só importante porque eles estão conhecendo uma técnica de produção, mas porque estão conhecendo a Universidade. É importante mostrar que eles, os filhos, os netos e os parentes podem estudar aqui, porque muitas vezes eles acham que é um mundo muito distante. Então, esse projeto busca também mostrar que existe política de inclusão dentro da Universidade e que eles são bem-vindos aqui, e que a Universidade trabalha para que eles consigam entrar e se manter dentro dela”, explica Bridi.

Por meio do projeto, as famílias assentadas também participam da Feira da Cidadania, realizada a cada 15 dias na UEL. Elas colocam à venda diversos produtos, como mudas de plantas medicinais e frutíferas, flores, geleias, pimentas e bolachas. Devido a isso, a professora Bridi também enfatiza a importância do projeto para aumentar a qualidade dos produtos comercializados dentro da Universidade.

*Estagiária na COM/UEL

especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também