Grupo de pesquisa do CECA encerra seminário sobre educação e estado

Grupo de pesquisa do CECA encerra seminário sobre educação e estado

É o 1º Seminário Educação, Estado Ampliado e Hegemonias, que traz programação com pesquisadores de diferentes instituições brasileiras.

Termina sábado (5) o 1º Seminário Educação, Estado Ampliado e Hegemonias, promovido pelo Grupo de Pesquisa em Educação, Estado Ampliado e Hegemonias (GEPH), do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA), da UEL. Serão realizados o terceiro e o quarto encontros do seminário, às 10 e às 14 horas.

“Diferentes grupos de pesquisa brasileiros têm se reunido nessa atividade de formação com amplo debate”, destaca a professora Adriana Medeiros Farias, do Departamento de Educação do CECA e líder do GEPH. O primeiro debate do dia, às 10 horas, conta com mediação da professora Adriana Medeiros Farias, além da participação da professora Virgínia Fontes, da Universidade Federal Fluminense (UFF). O tema é “A Educação Pública no contexto do capital-imperialismo: múltiplos papéis dos aparelhos privados de hegemonia empresariais”. Os aparelhos privados empresariais, explica a professora, são as fundações, institutos e organizações de capital privado que buscam interferir, a partir dos seus interesses, na política pública de educação.

O quarto encontro ocorre às 14 horas. A professora Adriana Medeiros Farias aborda o “Conglomerado de Aparelhos Privados de Hegemonia (APHs) Empresariais Lemann na educação pública no estado do Paraná. Na sequência, Kelly Letícia Sakata, doutoranda da Universidade Federal do Paraná (UFPR), apresenta “A atuação da fundação Lemann em duas redes municipais de ensino do PR”, com a mediação de Luana Bramorski, graduanda da USP e membro do GPEH da UEL.

“Nesses encontros do seminário, estamos discutindo a educação pública no contexto do capitalismo contemporâneo, agravado pela pandemia”, afirma a professora Adriana Medeiros Farias. “Várias ações que ocorrem no Paraná são perpassadas por interesses empresariais, que estão ditando um modelo de educação a ser implementado no estado”. A transmissão dos debates ocorre pelo canal do GEPH, no Youtube. Para acessar o canal, clique AQUI.

“O evento surgiu da necessidade de reunirmos pesquisas atuais produzidas por pesquisadoras que vêm se dedicando à compreensão das formas de empresariamento de novo tipo a partir dos estudos relevantes de Virgínia Fontes”, contextualiza a professora Adriana Medeiros Farias. 

Encontros – O 1º Seminário Educação, Estado Ampliado e Hegemonias teve seu primeiro encontro realizado no dia 7 de novembro. Com o tema “Intersecções entre o novo Fundeb e a instituição do Sistema Nacional de Educação”, participaram a professora Juliana Argollo, pesquisadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); e o professor Marco Vinícius Moreira Lamarão, professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, da Licenciatura de História do IFFluminense e pesquisador da UFRJ.

O segundo encontro foi promovido dia 21 de novembro, com o tema “Formação de professores na teia dos Aparelhos Privados de Hegemonia (APHs) empresariais”. A convidada do encontro foi a professora Olinda Evangelista, da Universidade Federal de Santa Catarina, coordenadora do Grupo de Investigação em Política Educacional (GIPE-MARX).

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também