Doutoranda faz conferência em universidade alemã sobre Atlas Linguístico da Terra do Fogo

Doutoranda faz conferência em universidade alemã sobre Atlas Linguístico da Terra do Fogo

Evento on line foi promovido pelo Instituto de Linguística Aplicada e Translatologia da Universidade de Leipzig.

A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da UEL (PPGEL), Romina Leonor Toranzo, foi conferencista, no dia 16 de junho, de evento on line promovido pelo Instituto de Linguística Aplicada e Translatologia da Universidade de Leipzig (Alemanha). De naturalidade argentina e orientanda da professora Dircel Aparecida Kailer (Departamento de Letras Vernáculas e Clássicas/CCH), a pesquisadora foi convidada pela instituição alemã e discorreu sobre sua pesquisa – a elaboração do Atlas Linguístico da Terra do Fogo, província argentina no extremo meridional do continente sul-americano.

A Terra do Fogo é na verdade um arquipélago, que tem uma ilha principal conhecida como Ilha Grande da Terra do Fogo, foco da pesquisa de Romina. A parte ocidental é chilena, e a oriental pertence à Argentina. As ilhas são separadas do continente pelo Estreito de Magalhães e, juntas, possuem tamanho semelhante ao da Irlanda. Cerca de 130 mil pessoas habitam o arquipélago.

A doutoranda apresentou um pouco da História da ocupação na região e a metodologia utilizada na pesquisa. Ela viajou até lá e coletou dados em entrevistas realizadas em 5 pontos da ilha, junto a 28 informantes, homens e mulheres. Romina informou que a Terra do Fogo é a única região argentina que não tem Atlas Linguístico, mas apenas um Glossário feito em 1950. Ela apresentou cartas linguísticas que mostram variações fonológicas (pronúncia) e lexicais (vocábulos). No primeiro caso, registrou grande influência do espanhol chileno, e observou que lá existe preconceito contra os imigrantes chilenos e seus descendentes.

No vocabulário, também constatou forte influência do espanhol chileno, mas também paraguaio e boliviano, graças à presença de imigrantes e descendentes destes países. Já em Ushuaia, capital da província e cidade turística, a pesquisadora notou influência do espanhol portenho. Ela lembra que os resultados são preliminares e que deverá qualificar nos próximos meses.

Trajetória acadêmica

Romina é graduada em Letras pela Universidade Nacional do Sul (Argentina) e Especialização em Docência de Nível Superior, com experiência em estudos de Sociolinguística. Já atuou como professora visitante na Universidade Nacional da Patagônia Austral e como docente na Universidade Nacional da Terra do Fogo. Ela recebe uma bolsa da Organização os Estados Americanos para estudar no Brasil.

Divulgação do vestibular da UEL - 2021
Leia também