Aplicativo auxilia mães na amamentação de bebês prematuros

Aplicativo auxilia mães na amamentação de bebês prematuros

APP traz conteúdos úteis que facilitam a amamentação, entre eles, vídeos e playlists de músicas.

Willian C. Fusaro

Agência UEL


A amamentação de bebês prematuros requer uma série de cuidados extra, que impactam diretamente na vida da mãe do recém-nascido. Pensando nisso, a doutoranda Gabriela Ramos Curan, do Programa de pós-graduação em Enfermagem (doutorado) do Centro de Ciências da Saúde (CCS), desenvolveu o Amamenta Coach, um aplicativo voltado a auxiliar a amamentação de bebês prematuros. O trabalho de Gabriela é orientado pela professora Edilaine Giovanini Rossetto, do Departamento de Enfermagem.

Personalizável, o aplicativo pode ser utilizado para prematuros de diferentes níveis e conta com links com conteúdos para mães de prematuros, vídeos, playlists de músicas relaxantes depois da jornada de amamentação, entre outros. “É um aplicativo completo para auxiliar as mães desses bebês. A jornada de amamentação de um prematuro pode ser extenuante e demandar muitas horas da enfermagem”, afirma Gabriela.

(Divulgação).

Segundo a pesquisadora, a autoconfiança da mãe é um dos fatores mais importantes para o sucesso da amamentação do prematuro. Muitas vezes, também é preciso ajudar a mãe a vencer a ansiedade e o medo da amamentação. Além de os bebês prematuros apresentarem dificuldades de sucção, deglutição e respiração para mamar no seio, ainda há as questões envolvendo a mãe. “Se não há essa participação do bebê, a mãe vai apresentar dificuldades para produzir leite, pois, para que isso ocorra, é preciso que ele mame”, salientou a orientadora, Edilaine.

Conexão Brasil versus Canadá

O Amamenta Coach começou a ser desenvolvido no Brasil no início do doutorado de Gabriela, desde 2019, e agora continua em desenvolvimento no Canadá. Isso porque Gabriela foi para um doutorado sanduíche no país para aprimorar o aplicativo, que ganhará uma versão em inglês futuramente. Na ocasião da ida para o Canadá, a estudante estabeleceu uma parceria com um grupo de pesquisa na área materno-infantil da Universidade de Toronto, sob co-orientação da professora Cindy-Lee Dennis.

O app já passou por avaliações de especialistas em neonatologia no Brasil, em breve será avaliado por profissionais da mesma área do Canadá. Em Londrina, um estudo recente com 55 mães de bebês prematuros foi realizado no Hospital Universitário (HU/UEL) no segundo semestre de 2021. Os dados ainda estão sendo analisados por Gabriela. “Porém, sabemos que um estudo que comprove a eficiência do aplicativo na melhora da autoconfiança da mãe e nas taxas de aleitamento materno deve ser feito com uma amostra maior de indivíduos”, ressalta a pesquisadora. 

Estudo multicêntrico

Outro estudo está em andamento, desta vez de forma multicêntrica e com mais participantes, em Londrina e em Goiás, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Goiás (UFG). Para participar, é necessário que os bebês tenham nascido no Hospital Universitário da UEL ou no Hospital das Clínicas da UFG. 

As pesquisadoras informam que o processo de registro do app Amamenta Coach está em andamento junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), sob intermédio da Agência de Inovação Tecnológica (AINTEC).

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também