Trajetórias de estudantes negros, indígenas e imigrantes na UEL é tema de roda de conversa na segunda (8)

Trajetórias de estudantes negros, indígenas e imigrantes na UEL é tema de roda de conversa na segunda (8)

A roda de conversa visa construir um espaço de escuta para que estudantes negros, indígenas e imigrantes possam dividir suas trajetórias acadêmicas.

Meire Sebastião*

Agência UEL


Em continuidade às atividades da Semana dos Ingressantes, na segunda-feira (8), será promovida a roda de conversa “Presença negra, indígena e imigrante na UEL: trajetórias”, organizada pelo Serviço de Bem-Estar à Comunidade (Sebec) em parceria com o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (Neab), a Comissão Universidade para Índios (Cuia), o Programa de Apoio à Permanência (Prope), a Assessoria de Relações Internacionais (ARI), o curso de Psicologia e a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd). O evento é aberto para a comunidade interna e externa e será na sala 483 do Centro de Estudos Sociais Aplicados (Cesa), às 19h15.

A roda de conversa tem como objetivo construir um espaço de escuta para que os estudantes negros, indígenas e imigrantes possam falar de suas trajetórias acadêmicas, pessoais e profissionais, além de divulgar os serviços da Universidade para esse público. O evento contará com a participação da graduanda em Psicologia Ana Lúcia Ortiz Martins, do doutorando em Física Daniel Lópes e da bolsista do projeto Tecendo Redes Aline Cristina de Oliveira Bandeira, que foram convidados para contarem sobre suas trajetórias. A mediação será feita pelas estudantes Amanda Figueiredo, do curso de Farmácia, e Anic Odara, do curso de Psicologia. 

“É um espaço para que esses estudantes e todos os outros que quiserem se somar possam conversar sobre o que é estar na universidade, o que é fazer uma formação em uma universidade pública no Brasil neste momento, os desafios, as potências, os enfrentamentos das violências racistas que essas pessoas sofrem, as desigualdades e o fortalecimento para superação do racismo na UEL e no Brasil”, explica a psicóloga Carla Pagnossim, do Sebec.

O evento tem, ainda, o apoio dos projetos de extensão Aquilombando a Universidade, Tecendo Redes e Entretons, além da Gestão Municipal de Promoção da Igualdade Racial, do Núcleo Regional de Ensino (Coordenação de Direitos Humanos e Diversidade), da Secretaria Municipal de Educação (Pasta de Diversidade) e da Plenária de Mulheres Negras.

Divulgação

Ciclo

Com a parceria do Neab, a roda de conversa integra, também, o Ciclo de diálogos sobre mulheres que inspiram, uma iniciativa nova que tem o intuito de construir diálogos e promover reflexões sobre o racismo e preconceitos. O Ciclo irá definir seus próximos eventos e ações a partir dos temas abordados pelos estudantes na roda de conversa. 

“A gente não tem agenda pré-definida porque são esses coletivos que vão nos apontar as necessidades de trabalho. Por isso teremos trajetórias de estudantes indígenas, negros e imigrantes. Então, é esse momento que vai nos dar sugestões e apontamentos de quais ações a gente poderia desenvolver no sentido de promover mais essa escuta, esse diálogo, de atender as necessidades”, explica a coordenadora do Neab, Marleide Perrude. 

O Ciclo teve início no dia 25 de julho, com o café realizado em homenagem ao Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Durante a primeira semana do ano letivo de 2022, do dia 1° ao dia 5 de agosto, o Neab, assim como o Sebec, a Cuia e o Prope, programou visitas aos Centros de Estudos para apresentar seus serviços aos estudantes.

*Estagiária na COM/UEL

vestibular UEL 2023 inscrição
vestibular UEL 2023 inscrição
Vestibular-2023-uel
Vestibular-2023-uel
previous arrow
next arrow
Leia também