Banco do Brasil prorroga para 30 de abril prazo para assumir a Folha de Pagamento da UEL

Banco do Brasil prorroga para 30 de abril prazo para assumir a Folha de Pagamento da UEL

Decisão foi oficializada pela Superintendência Estadual do Banco, que acatou solicitação feita pela Administração da Universidade.

Pedro Livoratti

Agência UEL


Em virtude da pandemia e para evitar aglomerações, o Banco do Brasil adiou para 30 de abril o prazo para assumir oficialmente a administração da Folha de Pagamento dos 4,6 mil servidores lotados no Campus e no Hospital Universitário (HU) da UEL. Inicialmente a migração das contas estava prevista para o final de março. A decisão foi oficializada neste final de semana pela Superintendência Estadual do Banco, acatando solicitação feita pela Administração da Universidade, na última quinta-feira (4), considerando as condições sanitárias e o Decreto Estadual que prevê o trabalho remoto em todas as esferas do funcionalismo público. Também pesou na decisão o fato dos servidores do HU estarem trabalhando no limite para dar conta da grande demanda de pacientes com COVID-19.

Segundo o Superintende de Varejo do BB no Paraná, Felipe Zanella, não havia outra alternativa para o banco, embora boa parte dos servidores tenha feito a confirmação das contas correntes. Ele explica que dos 4,6 mil professores e agentes universitários, 1,6 mil já eram correntistas do banco. Dos 3 mil que necessitam fazer a confirmação de dados pessoais e bancários, cerca de 1,1 mil já o fizeram na última semana.

Um posto de atendimento está funcionando no Campus Universitário das 9 às 17 horas. Nos próximos dias será montado posto de atendimento também no HU, em uma sala cedida para que os servidores possam confirmar a abertura de conta corrente. Mas, de acordo com o Superintendente, o servidor pode procurar qualquer agência do Banco do Brasil das 8 às 10 horas para atendimento exclusivo. Já as agências da Avenida Bandeirantes e do Calçadão contam com atendimento preferencial para os servidores em todo o horário de expediente bancário. O banco também enviou um SMS nos telefones móveis dos servidores sugerindo horário e agência bancária para realizar a confirmação dos dados.

Como ocorre em todos os procedimentos de alteração do administrador da folha, o servidor terá o direito de optar por ser correntista ou solicitar portabilidade para outro banco, mantendo a conta salário no Banco do Brasil com transferência automática.

Benefícios – Segundo o Superintendente, o servidor poderá contar com vários atrativos, caso decida pela manutenção da conta no Banco do Brasil. Ele exemplifica que os empréstimos consignados em folha tem taxas a partir de 0,79% ao mês. Outro benefício é o crédito imobiliário, uma demanda permanente, que oferece taxas a partir de 6,25% ao ano. “São condições diferentes e exclusivas”, define Zanella.

Para o Superintendente Comercial do BB para a região Norte, Matheus Mazieiro, os novos clientes poderão contar também com isenção de 12 meses da anuidade do cartão de crédito (bandeira Visa ou Elo) e isenção das taxas bancárias por seis meses, dependendo do pacote de serviços. Há ainda descontos para aquisição de cotas em grupos de consórcios, redução de até 30% na aquisição de seguro residencial e isenção por 24 meses para o serviço Veloe – pagamento digital de pedágio e de estacionamentos privados.

Matheus Mazieiro orienta ainda que, embora o prazo para migração das contas tenha sido ampliado, o desejável é que o servidor faça a confirmação dos dados bancários até 18 de abril. O objetivo é evitar problemas com o recebimento dos salários e com o funcionamento dos cartões, caso o servidor opte por migrar a conta para o Banco do Brasil.

Leia também