Duque de Caxias ganha inventário arquitetônico e roteiro cultural

Duque de Caxias ganha inventário arquitetônico e roteiro cultural

Materiais elaborados por professores e alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo foram entregues à Secretaria Municipal de Cultura.

A Avenida Duque de Caxias é uma importante rua comercial desde a fundação de Londrina, há 87 anos. Para preservar a memória e história da via, dois documentos foram criados: Inventário Arquitetônico e Roteiro Histórico Cultural. Elaborado por professores e estudantes do Centro de Tecnologia e Urbanismo da UEL (CTU), o material foi entregue na manhã desta quarta-feira (15) à Secretaria Municipal de Cultura, da Prefeitura de Londrina.

O inventário traz a catalogação de 20 quadras da Duque de Caxias e o registro histórico de 120 lotes e edificações. São cerca de 2.500 páginas de documentação histórica, cujo resultado é um extenso documento do trecho da Avenida inserido no Plano Urbano de 1932, entre a Rua Benjamin Constant e a Avenida Juscelino Kubitschek. 

Diretora de Patrimônio Histórico da Secretaria de Cultura de Londrina, Solange Batigliana e a professora da UEL, Eloisa Ribeiro.

Foram impressos 10 catálogos sobre os prédios arquitetônicos da Duque de Caxias, que contemplam em cada volume duas quadras. Outro inventário sobre a localidade, de apenas um volume, é histórico-arquitetônico e reúne, por exemplo, desde a planta azul da cidade, as variações do nome da via – que somente em 1979 passou a chamar Duque de Caxias – até o nome dos construtores de edificações e suas nacionalidades.  

Já o Roteiro Histórico Cultural tem 3 mil unidades impressas, que serão utilizadas para visitas guiadas à Avenida Duque de Caxias, em parceria com o SESC Cadeião, possibilitando que toda a população possa conhecer a história da rua. “Esse material é relevante para a Universidade e para Londrina. Entregamos um importante documento para a preservação da cidade”, afirma Eloisa Ribeiro.

Também foi entregue para a Secretaria de Cultura o material em formato digital para ser disponibilizado no Sistema de Informação Geográfica de Londrina (SIGLON). Para Solange Batigliana, diretora de Patrimônio Histórico da Secretaria, apoiar projetos como este, por meio do fomento, é garantir a preservação da história. 

Integrantes do projeto de extensão mostram detalhes dos materiais repassados à Secretaria de Cultura.

“É um serviço de registro de memória. Esse tipo de trabalho faz com que as pessoas possam olhar o lugar que vivem de maneira diferente. Ganha significado, porque conta a história e a memória”, afirma Solange. Para ela, isso fica ainda mais evidente ao colocar todos os materiais na plataforma para tornar acessível e disponível à população.

Pesquisa e fomento

O levantamento, que durou cinco anos, é resultado de projeto de pesquisa “A paisagem da rua comercial em Londrina: transformações e permanências“, coordenado pela professora Eloisa Ramos Ribeiro, do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, do CTU, e da extensão realizada dentro do projeto “Escritório Modelo OCAS”, coordenado pelo professor Antônio Carlos Zani, do mesmo Departamento. 

Inventário Urbano Roteiro Histórico Cultural

Nos últimos dois anos, o projeto foi submetido ao Programa Municipal de Incentivo Cultural (PROMIC), como  proposta “Avenida Duque de Caxias: um patrimônio histórico entre permanências e transformações” e contemplado com R$ 40 mil. 

O recurso foi utilizado para bolsas de 14 estudantes, de pesquisadores e para impressão dos materiais. A proposta envolve quatro ex-alunas do curso de Arquitetura e Urbanismo da UEL, Camila Silva de Oliveira, Elisa Roberta Zanon, Priscila Henning e Ana Claudia de Souza Santos, além da professora Eloisa Rodrigues.

Devido à pandemia da Covid-19, a ideia inicial que propunha exposição itinerante itinerantes de painéis e fotos, nos shoppings e no aeroporto, precisou ser adaptada. Com isso, houve uma reestruturação e maior investimento no roteiro guiado e ainda a elaboração de um e-book sobre a trajetória de todo trabalho feito, que será publicado em 2022. Ainda estão previstas para fevereiro duas palestras, uma no Museu Histórico de Londrina e outra no SESC Cadeião, visando capacitar agentes para a realização da visita com a comunidade. 

Participantes – Além de Eloisa Ribeiro e de Solange Batigliana, estiveram presentes na entrega do material, as integrantes do proposta, Camila Silva de Oliveira, Elisa Roberta Zanon, Priscila Henning e Ana Claudia de Souza Santos; além das servidoras municipais, Sonia Regina Aparecido, diretora de incentivo à cultura da Secretaria de Cultura, e Vanda de Moraes, presidente do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural de Londrina (Compac).

(FOTO/Capa: Divulgação).

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também