Pesquisadores atendem prefeituras nas áreas de transporte, infraestrutura e mobilidade

Pesquisadores atendem prefeituras nas áreas de transporte, infraestrutura e mobilidade

A ideia é investir em planos e projetos que colaborem com o desenvolvimento urbano de pequenas cidades.

Projeto de extensão desenvolvido por professores do Laboratório de Engenharia de Transporte (LET), do Departamento de Construção Civil, do Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU) da UEL, presta serviços de infraestrutura urbana, planejamento de sistemas de transporte e mobilidade para pequenos municípios com foco na legislação vigente e na sustentabilidade. O projeto batizado de Planejamento de sistemas de transportes e mobilidade urbana: PLANMOB; operação; projeto de infraestrutura; e desenvolvimento social sustentável está vinculado ao Programa de Atendimento à Sociedade (PAS), que estabelece normas para a prestação de serviços por meio de convênio intermediado pela Fundação de Apoio (FAUEL).

Segundo o professor Carlos Alberto Prado Silva Junior, coordenador do projeto, o maior atrativo para os municípios é a possibilidade de ter acesso a projetos fundamentais para o desenvolvimento urbano a um custo acessível. Outra vantagem é que as prefeituras podem contratar a FAUEL por dispensa de licitação, com base na nova lei de Licitações e Contratos (Lei nº 14.133, de 1º de abril de 2021), que estabelece normas para contratação de serviços para as Administrações Públicas dos Estados, Distrito Federal e Municípios.

Professores do Departamento de Construção Civil Carlos Alberto Prado Silva Junior, Heliana Barbosa Fontenele e Deize Dias Lopes, integrantes do PLANMOB.

Com o retorno das atividades presenciais, os professores pretendem fortalecer os contatos com secretarias de obras de municípios de até 100 mil habitantes para divulgar os serviços. Segundo o professor Carlos Alberto, a ideia é desenvolver planos de mobilidade e projetos que contribuam para o desenvolvimento urbano de pequenas cidades, ligados aos sistemas de transportes, mobilidade e sistema viário urbano – que representam uma grande necessidade. O portfólio prevê ainda projetos ligados à infraestrutura como vias urbanas, rodovias, ciclovias e interseções, destinação e gestão de resíduos sólidos, projetos de saneamento e drenagem.

Para dar maior amplitude no atendimento aos municípios, o projeto conta com os professores Caio Victor Lourenço Rodrigues, Deize Dias Lopes e Heliana Barbosa Fontenele, todos do Departamento de Construção Civil. Eles explicam que todos os projetos são desenvolvidos pelo grupo, que atua em várias especialidades. Quando há necessidade de buscar expertise em demais áreas, outros professores são contatados para integrar o projeto.

O professor Carlos Alberto salienta que para cada proposta comercial de serviço encaminhada, os municípios recebem, além do produto objeto da proposta, a possibilidade de treinamento e acompanhamento das ações para gerir e implantar os serviços demandados. A prefeitura e seus técnicos recebem uma capacitação prévia. “Sem dúvida é um grande atrativo, já que, posteriormente ao trabalho realizado, o município ficará com os recursos humanos qualificados para outras demandas”, afirma ele.

Planejamento urbano

A professora Deise chama a atenção para o olhar que o gestor precisa ter no desenvolvimento de projetos de construção civil. Ela descreve que a área urbana não pode ser representada por casas residenciais e unidades comerciais. É preciso considerar os habitantes e as necessidades de mobilidade – um grande desafio das administrações municipais, considerando conservação ambiental, integração das diversas regiões, sinalização, transporte coletivo e individual, transportes não motorizados (a pé e bicicleta) e motorizados (motocicletas, automóveis e ônibus).

Dessa forma, o ideal é planejar considerando que a ocupação urbana deve ser ordenada. Um exemplo é pensar que a cidade precisa ter áreas verdes para dar vazão às chuvas. Quanto maior a impermeabilização, menor a infiltração. A consequência é o escoamento dessa água que pode causar danos patrimoniais graves.

A professora Heliana chama a atenção que toda a consultoria precisa considerar as particularidades de cada município, clima, aspectos regionais. Os recursos provenientes dos projetos e consultorias são utilizados para a compra de equipamentos para o Laboratório de Engenharia de Transporte (LET-CTU). Outra necessidade é o pagamento de bolsas para estudantes de Iniciação Científica, de Mestrado e Doutorado e para estagiários.

Emissão de parecer técnico

Os professores já realizaram serviços como o feito para a Rodovia SP-333, no interior paulista, no ano retrasado. A rodovia é administrada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER-SP) e pelas concessionárias Triângulo do Sol e Entrevias. O projeto durou seis meses, feito juntamente com professores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) e teve o objetivo de analisar e emitir um parecer sobre as condições de segurança de um projeto proposto pela concessionária para uma ciclovia no trecho urbano da SP-333.

Mais informações pelo e-mail  letctu@uel.br.

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também