37ª edição do Seminário Lutas & Resistências traz convidados internacionais

37ª edição do Seminário Lutas & Resistências traz convidados internacionais

Programação segue até dia 18, inclusive com convidados internacionais, entre eles da Argentina e México.

*Thaynara Junqueira

Agência UEL


Está marcado para iniciar em 14 de setembro o 37º Seminário Lutas & Resistências, que segue com extensa programação virtual até dia 18 de setembro, com o tema “Crise para quem? A América Latina no meio da pandemia”. Com inscrições gratuitas, a coordenação do Seminário recebeu até o momento o total de 400 inscritos. Inscrições abertas – AQUI.

Segundo o professor, coordenador do Grupo de Estudos de Política da América Latina (GEPAL), Eliel Machado, do Departamento de Ciências Sociais, do Centro de Letras e Ciências Humanas (CCH), a expectativa é dobrar essa quantidade de inscritos. Ele também conta que a programação do evento foi pensada para responder o tema – “Crise para quem? A América Latina no meio da pandemia”. “É uma pergunta muito complexa, mas as mesas estão exatamente divididas tentando abordar alguns aspectos dessa crise, tanto no ponto de vista econômico, político e social”, afirma Eliel Machado. 

Além da crise pandêmica, as conferências vão debater as manifestações anteriores à pandemia, segundo o professor, retomadas agora, por exemplo, com a greve dos entregadores de aplicativos, e trarão também análises sobre os movimentos sociais. 

O evento busca compreender o atual momento do Brasil e da América Latina. E para isso conta com dois convidados internacionais. Na abertura, dia 14, às 19h30, Atilio Borón da Universidad Nacional de Avellaneda, Argentina e no encerramento, dia 18, às 19h30, Teresa Aguirre da Universidad Nacional Autónoma de México. “Eles terão papel importante de abertura e encerramento, sempre pensando em perspectivas. A ideia é fazer uma análise do concreto e ao mesmo tempo, abrir novas perspectivas”, resume o professor. As conferências começam sempre às 19h30.

Também são destaques da programação as atrações culturais. Dia 15, por exemplo, o grupo “Slam voz das minas e Slam voz das margens”, apresenta poesia falada de resistência e logo em seguida começa a mesa-redonda com o tema “Quem pagará a conta da crise”.

Apoio – O Seminário conta com o apoio da Revista Lutas Sociais, do Núcleo de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS), do Marxismo 21, da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Sociedade (PROEX).

(*Estagiária na COM/UEL – sob supervisão do editor).

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também