Pesquisadores da UEL terão acesso a App que monitora compras de medicamentos

Pesquisadores da UEL terão acesso a App que monitora compras de medicamentos

Ferramenta vai auxiliar na identificação de eventuais desvios de recursos públicos. Cerimônia ocorreu na Sala de Conselhos, no Campus.

Pedro Livoratti

Agência UEL


Termo de cooperação assinado nesta terça-feira (10) entre a UEL e o Ministério Público do Paraná vai permitir que pesquisadores do Núcleo Interdisciplinar de Gestão Pública (NIGEP) tenham acesso ao aplicativo “De olho no remédio”, ferramenta que permite o processamento de notas fiscais geradas por empresas farmacêuticas, auxiliando na identificação de eventuais desvios de recursos públicos. O termo foi oficializado durante cerimônia realizada na Sala dos Conselhos, no Campus Universitário, com a participação de representantes da MP e da Universidade.

O aplicativo foi criado pelo Núcleo de Inteligência do Centro de Apoio Técnico à Execução (CAEx), do Ministério Público, como ferramenta para auxiliar na identificação de eventuais desvios e para o controle da indução de políticas públicas na área da saúde. Desde 2016, o MP iniciou um banco de dados robusto que conseguiu reduzir o volume de irregularidades apontadas inicialmente no sistema. Para se ter uma dimensão do volume, são 5,5 mil órgãos públicos adquirindo medicamentos no Paraná.

Somente no ano passado, foram comprados 7 mil medicamentos para o setor público, movimentando cerca de R$ 1 bilhão em todo o estado. O NIGEP da UEL pretende utilizar essas informações para estudos e comparações considerando custos e políticas públicas, com foco na eficiência, transparência e racionalidade do setor público, objeto das investigações dos pesquisadores do Núcleo.

Procurador de Justiça Bruno Sérgio Galatti, do Ministério Público do Paraná, assina termo de cooperação da UEL com Ministério Público.
Procurador de justiça Bruno Sérgio Galatti, do Ministério Público do Paraná, assina termo de cooperação para acesso ao aplicativo “De olho no remédio” (Agência UEL)

“Termômetro” da saúde no estado

Segundo o reitor da UEL, Sérgio Carvalho, a aproximação entre a Universidade e o Ministério Público é importante porque vai garantir produção de conhecimento científico em cima de informações relevantes, relacionadas à saúde pública. O reitor lembrou que a Autonomia Universitária garantida pela Constituição Federal assegura à Universidade o livre pensar para a produção de conhecimento, independente do poder político.

O procurador de justiça Bruno Galatti explicou que a ferramenta utilizada na academia permite ter um “termômetro” para medir como está a saúde pública no Paraná. Ele detalhou que o aplicativo foi criado com o objetivo de identificação de eventuais desvios, mas, dada a quantidade de informações, serve para avaliar políticas públicas, a partir da comparação de preços e serviços.

Reitor da UEL, Sérgio de Carvalho, discursa durante cerimônia de assinatura de convênio entre UEL e Ministério Público.
Reitor da UEL, Sérgio de Carvalho. Parceria garante produção do conhecimento científico com base em informações relevantes (Agência UEL)

A coordenadora do NIGEP, professora Vera Suguihiro, explicou que a proposta é que os pesquisadores possam ter acesso ao banco de dados, um material rico para aprofundar conhecimentos sobre gestão pública. Ela explicou que os dados servirão como base para pesquisas e gerarão artigos científicos, que poderão retornar como informação para o próprio Ministério Público.

A cerimônia de assinatura foi transmitida online e contou com a participação do estatístico Paulo Jhonny Scheleder da Costa Rosa, do Núcleo de Inteligência do MP, que apresentou detalhes da ferramenta. Também esteve presente de forma virtual o auditor do Núcleo de Inteligência do CAEx, Roberto Luiz Monteiro. Também participaram da solenidade o vice-reitor da UEL, professor Décio Sabbatini Barbosa, além da reitora eleita da UEL, professora Marta Favaro, acompanhada do vice-reitor eleito, Airton Petris.

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também