UEL vai implementar programa de redução do uso de plásticos

UEL vai implementar programa de redução do uso de plásticos

Universidade deverá adotar um programa permanente e se tornar a primeira estadual do Paraná a reduzir uso de plástico.

Somente em 2019, a UEL adquiriu mais de 15 milhões de copos descartáveis para o consumo de água e cafezinho. O dado é da Pró-Reitoria de Administração e Finanças (Proaf), que apontou também uma queda na demanda pelo produto nos anos seguintes, o que ocorreu por conta da suspensão das atividades presenciais devido à pandemia da Covid-19. No entanto, se analisado sob outro ângulo, o dado pode ser assustador, já que, se inteiramente utilizado, o montante representa um consumo de mais de 42 mil unidades em todo o Campus a cada dia letivo daquele ano. 

Para reduzir o consumo de copos e outros materiais oriundos de produtos termoplásticos considerados de uso único, a UEL deverá adotar um programa permanente e se tornar a primeira estadual do Paraná a implementar a iniciativa, que ainda não tem data para começar. Hoje em dia, poucas IES (Instituições de Ensino Superior) possuem ações institucionais desta natureza. São exemplos a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). 

Para a reitora da UEL, Marta Favaro, a redução da utilização do plástico de uso único representará um passo a mais para construção de uma cultura de sustentabilidade. “Nosso desafio como Instituição é a elaboração de uma Política Ambiental da UEL”, ratifica.

Engajamento 

Repensar o consumo do plástico na Universidade não é uma atividade recente por parte dos docentes e estudantes. No entanto, foi em março deste ano que a instituição criou um Grupo de Trabalho focado neste tema. Formado por integrantes do projeto “UEL com Menos Plástico”, do Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Resíduos (Ninter) e da Procuradoria-Jurídica da UEL, o GT deu início às discussões para a elaboração de uma minuta de resolução institucional. O GT também elaborou um relatório com dados sobre o consumo, utilização e percepção da comunidade universitária sobre o uso de copos descartáveis. Um questionário foi aplicado e contou com a participação de 438 pessoas, entre estudantes, professores e servidores.

Conforme o relatório, 60% afirmaram que ainda utilizam plásticos de uso único, mesmo de forma esporádica, e quase 95% disseram serem favoráveis à redução do uso destes produtos. Por outro lado, apenas 4,8% apontaram que os copos e demais produtos descartáveis são indispensáveis em seus setores.

O documento também evidenciou a importância de se trabalhar de forma permanente a Educação Ambiental na instituição. Isso porque 40,8% dos participantes disseram não participarem de nenhuma capacitação a respeito da separação e destinação correta dos resíduos sólidos.

Mapeamento

Para subsidiar o relatório e as próximas discussões, os integrantes do projeto “UEL com Menos Plástico”, que é coordenado pela professora do Departamento de Geociências Edinéia Vilanova Grizio-Orita, realizaram um mapeamento minucioso dos setores/centros da Universidade responsáveis pelo descarte do maior volume de produtos recicláveis. Dessa forma, foi possível observar uma quantidade expressiva de copos plásticos em setores da área de Saúde e que atendem à comunidade externa, como o Hospital de Clínicas e Clínica Odontológica, o que não ocorreu com a mesma intensidade nos demais centros. 

Professor do Departamento de Administração e coordenadora do Ninter, Lilian Aligleri explica que a não geração de resíduos, como o plástico, é uma importante estratégia presente do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), desenvolvido no ano passado e aprovado recentemente na Câmara Municipal de Londrina.

“O PMGIRS (Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos) apontou que 18,61% de todo o material que é depositado no aterro é plástico são maiores do que os rejeitos. Plástico só perde para o material orgânico e muito desse plástico é de uso único. Já a coleta seletiva representa somente 8% do material que é produzido. É uma pequena parcela disso que é o plástico reciclado, o que justifica a não geração do resíduo”, explicou. 

Ela também lembra que, agora, o programa de redução do uso de copos e demais produtos plásticos deverá ser colocado em pauta nas próximas reuniões dos conselhos de Administração e Universitário da UEL. “A Universidade precisa avançar em várias outras questões. Foi montado também um grupo de trabalho pra fazer o plano de gestão ambiental, que inclui desde a questão do manejo da flora e da fauna e de produtos perigosos, além da geração de resíduos no Campus, passando pela questão da mobilidade urbana e dos edifícios sustentáveis. São questões que a Universidade precisa avançar para que tenhamos um novo compromisso com questões ambientais”, avalia. 

O Grupo de Trabalho também é composto pelos professores e técnicos Caio Victor Lourenço Rodrigues, Camila Santos Doubek Lopes, Maria José Sartor, Patrícia de Oliveira Rosa da Silva, Miguel Etinger de Araujo, Paulo Sérgio Negri e Ariella Kely Besing Motter.

vestibular UEL 2023 inscrição
vestibular UEL 2023 inscrição
Vestibular-2023-uel
Vestibular-2023-uel
previous arrow
next arrow
Leia também