Workshop debate eficiência da Inteligência Artificial no controle de doenças em lavouras

Workshop debate eficiência da Inteligência Artificial no controle de doenças em lavouras

O Departamento de Computação da UEL realizou, na semana passada, o primeiro Workshop do CIA-Agro, Centro de Inteligência Artificial no Agro, evento híbrido com participantes presenciais e remotos. O encontro trouxe os primeiros resultados das atividades do Centro. Os professores Daniel Kaster (Departamento de Computação) e Marcelo Canteri (Departamento de Agronomia) foram os organizadores do […]

publicado por

Agência UEL


O Departamento de Computação da UEL realizou, na semana passada, o primeiro Workshop do CIA-Agro, Centro de Inteligência Artificial no Agro, evento híbrido com participantes presenciais e remotos. O encontro trouxe os primeiros resultados das atividades do Centro. Os professores Daniel Kaster (Departamento de Computação) e Marcelo Canteri (Departamento de Agronomia) foram os organizadores do evento e apresentaram os trabalhos iniciais. Também foram palestrantes os Professores Fabrício e Natassia, da UTFPR, e Bruno Zarpelão (Computação). Os trabalhos foram concluídos com a apresentação do professor Sylvio Barbon, atualmente na Itália como docente de Computação.

No evento foram apresentadas as novas tecnologias em desenvolvimento pelo CIA Agro sobre controle de doenças na cultura da soja. Uma das doenças abordadas, a ferrugem asiática da soja, cujo monitoramento nas lavouras brasileiras custa cerca de U$S 2 bilhões anuais.

“O sistema em desenvolvimento usará a Inteligência Artificial para disponibilizar mapas para o Estado do Paraná, com avaliação das condições meteorológicas, da presença do patógeno e do progresso do plantio da soja. Com a digitalização desses mapas, o sistema poderá prever as zonas mais favoráveis para a ocorrência da doença. Os impactos serão sentidos com a otimização da aplicação de fungicidas e de produtos biológicos para o controle da ferrugem, com benefícios ambientais e financeiros para os agricultores do Estado”, explica o professor Marcelo.

Segundo ele, a UTFPR e o IDR-Paraná serão responsáveis pela automatização da leitura da presença de esporos de ferrugem detectados em Coletores de Esporos espalhados pelo estado. Outra ação é realizada pela UEL junto com o IDR-Paraná na otimização dos mapas de condições agrometeorológicas para o Estado, visando o controle de doenças em plantas. A Embrapa Soja e a Fundação ABC trabalham para o controle de outra doença da soja, o mofo branco, que atinge cerca de 30% do território nacional.

Toda esta ação e a criação do CIA Agro é resultado do apoio da Fundação Araucária, que investiu cerca de 1 milhão de reais para a criação do centro em conjunto com a iniciativa privada.

O CIA-Agro foi criado em 2021 numa ação da Fundação Araucária junto com a UEL, UTFPR, IDR-Paraná, Embrapa Soja e Fundação ABC. O Centro também conta com o apoio da Fundação Chapadão (Mato Grosso do Sul) e de empresas privadas (Jacto, Adama e Cooperativa Agrária), além da Università degli Studi di Trieste, da Itália.

A Inteligência Artificial tem sido aplicada em várias áreas do conhecimento humano e na agricultura não poderia ser diferente. O CIA Agro será o responsável pelo progresso nesta área.

vestibular UEL 2023 inscrição
vestibular UEL 2023 inscrição
Vestibular-2023-uel
Vestibular-2023-uel
previous arrow
next arrow
Leia também