Seminário paranaense tem como tema desafios da criação da abelha-sem-ferrão

Seminário paranaense tem como tema desafios da criação da abelha-sem-ferrão

Evento é direcionado a criadores de abelhas, produtores de mel, técnicos, professores e estudantes.

Reinaldo C. Zanardi

Agência UEL


“Compartilhar o conhecimento técnico e científico de diversos atores envolvidos na criação de abelhas-sem-ferrão, bem como integrar a comunidade científica e a comunidade em geral”. Este é um dos objetivos do 14º Seminário Paranaense de Meliponicultura, que será realizado entre os dias 23 e 27 de novembro. O tema do seminário é “Abelha-sem-ferrão: desafios e oportunidades”. Durante a 14ª edição do seminário, ocorrerá o 1º Concurso Paranaense de Qualidade em Méis de Abelhas-sem-ferrão.

(Divulgação)

O evento é realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência de Alimentos, do Centro de Ciências Agrárias (CCA), pela Câmara Técnica de Meliponicultura do Estado do Paraná, ligada ao Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (CEDRAF). As inscrições são gratuitas – INSCRIÇÕES AQUI. A coordenação geral do evento é da professora Wilma Aparecida Spinosa, do Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos, do CCA.

Conforme o doutorando Paulo Saito, da comissão organizadora, o evento é direcionado a criadores de abelhas, produtores de mel, técnicos, professores e estudantes. “Os participantes têm a opção de se inscrever com ou sem a apresentação de trabalho”, afirma o Paulo Saito. Ao todo, o seminário aceitará até 100 trabalhos. Conforme as regras de apresentação, “os cinco trabalhos com maior pontuação serão convocados para apresentação oral, com duração de 10 minutos”.

Entre os estudantes de graduação estão os de cursos como Agronomia, Biologia, Biotecnologia, Engenharia de Alimentos, Farmácia, Gastronomia, Medicina Veterinária, Nutrição, Tecnologia em Alimentos e Zootecnia. Já os estudantes de pós-graduação são os que têm vínculos com mestrado e doutorado, por exemplo, em cursos como Agronomia, Biologia, Ciência Animal e Ciência de Alimentos e outras áreas afins.

Abertura – A abertura do Seminário Paranaense de Meliponicultura será no dia 23 de novembro, às 19 horas, com a conferência “Panorama da meliponicultura no Paraná”, com Marcos Aparecido Gonçalves, mestre em Agronomia pela UEL, coordenador da Câmara Técnica de Meliponicultura do Paraná e técnico do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento com atuação na fiscalização e apoio à produção orgânica.

Durante a 14ª edição do seminário, ocorrerá o 1º Concurso Paranaense de Qualidade em Méis de Abelhas-sem-ferrão.

Ainda no dia 23 de novembro, às 20 horas, o tema “Boas práticas na extração e beneficiamento do mel das abelhas nativas sem ferrão”, será apresentado por Ricardo Costa Rodrigues de Camargo, pesquisador da Embrapa, consultor técnico da Câmara Setorial do Mel-MAPA. Também estão no programa duas oficinas – das 21h às 21h50. A primeira, “Sugestão de alimentação artificial para abelha-sem-ferrão: riscos e benefícios”  e a segunda, “Colheita mecânica do mel com sugador portátil”. A programação completa do evento pode ser conferida AQUI.

Desafios – Os principais desafios para a meliponicultura do estado do Paraná, conforme os organizadores do evento, são a organização da cadeia produtiva e a formalização da atividade, a estruturação da produção e capacidade para a certificação sanitária do produto e o acesso ao mercado. O Paraná, conforme o ano, alterna o primeiro e o segundo lugar na produção nacional de mel, com cerca de 15% da produção nacional. São mais de 6 mil toneladas do produto. O estado conta com mais de 20 mil colmeias cadastradas em cerca de 2 mil meliponários (conjunto de colmeias).

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também