Equipes apresentam ideias inovadoras no Startup Garage

Equipes apresentam ideias inovadoras no Startup Garage

Três equipes da UEL foram finalistas do Programa Startup Garage Digital 2021. O Programa é uma realização do Sebrae/PR e tem como objetivo oferecer aos estudantes universitários um ambiente para a criação de startups.

Três equipes da UEL foram finalistas do Programa Startup Garage Digital 2021. O Programa é uma realização do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/PR) e tem como objetivo oferecer aos estudantes universitários um ambiente para a criação de startups, fortalecendo o empreendedorismo entre acadêmicos. Na UEL, a iniciativa foi promovida em parceria com a Agência de Inovação Tecnológica (AINTEC) da Universidade. Esta foi a segunda edição do Startup Garage, feita de forma totalmente virtual.

As atividades do Programa tiveram início em julho. Discentes da Graduação e da Pós-graduação da UEL apresentaram, em equipes, propostas inovadoras para tentar garantir uma vaga na fase final. Ao todo, a Universidade contou com 14 equipes, mas apenas cinco se apresentaram na última banca, que ocorreu no começo de novembro.

Na UEL, a coordenação técnica foi das professoras Eloisa Rodrigues, do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, e Ercília Hirota, do Departamento de Construção Civil, ambas do Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU) da instituição. De acordo com Rodrigues, o objetivo é ampliar cada vez mais o ensino empreendedor dentro da Universidade, trazendo um conteúdo de qualidade e diferenciado para os alunos. “Essa formação, tentando aproximar os problemas do mercado com a discussão que a gente faz dentro da academia, pode viabilizar em muito o desenvolvimento e o avanço das pesquisas direcionadas”, afirma a professora.

Resultado

A Equipe vencedora foi a BR Tech (Battery Recycling Technology), composta por Cristian Souza, Gabriel Gonzaga, Gabriel Seiti, Luis Stocco, Otávio Oliveira e pelo professor Alexandre Urbano, do Departamento de Física, do Centro de Ciências Exatas (CCE) da UEL. Com orientação do docente, os estudantes, que fazem parte dos cursos de Física e Química, propuseram uma tecnologia para reciclagem de baterias de íon lítio, a principal aposta na redução da emissão de gás carbônico, atuando diretamente no setor dos veículos elétricos. A intenção é fornecer o reaproveitamento de todos os componentes da bateria de maneira eficiente, econômica e ambientalmente amigável. Eles pretendem criar uma máquina para realizar o processo, que já tem sido feito de forma manual por alguns membros da equipe no Laboratório de Filmes Finos e Materiais (FILMAT) da UEL, localizado no CCE.

Visita da equipe à Caldeirão Manutenção Industrial (Arquivo da equipe)

O prêmio por conquistarem o primeiro lugar foi dez horas de consultoria SEBRAE para dar continuidade ao desenvolvimento da Startup. A participação no Programa também garantiu visibilidade para a ideia, que já despertou o interesse de investidores. Segundo a equipe, a expectativa é que o projeto dê origem à primeira Agência Nacional com foco na reciclagem dessas baterias, favorecendo a venda dos ativos recuperados para diferentes setores da indústria, implantando pontos de coleta pelo país e realizando parcerias com fabricantes de baterias para promover suas respectivas logísticas reversas. Como parceiros da equipe, estão a ONG E-letro, fornecendo baterias recolhidas em quase todo o estado do Paraná, no interior de São Paulo e no Mato Grosso do Sul; e a Caldeirão Manutenção Industrial (CMI), colaborando na projeção e produção da nova tecnologia.

Visita da equipe à ONG E-letro (Arquivo da equipe)

Equipes

Os finalistas que ficaram na segunda e terceira posição do Programa não foram premiados, mas suas ideias também ganharam o reconhecimento dos investidores que participaram da banca final. O segundo lugar ficou com a equipe Engenautas/INK, composta por Hugo Tarrenta, Marcos Yonamine, Roberta Matsunaka, Vinícius Maran e Vinícius Martinelli. Eles propuseram uma plataforma voltada para investidores, na qual os usuários podem concentrar e gerenciar todos os seus investimentos, reduzindo riscos e possibilitando melhores análises.

Já o terceiro lugar ficou com a equipe EngePlus, formada por João Vitor Cicchilli, Matheus Barbieri e Vinícius Lanza. A proposta deles é criar um aplicativo de compra e venda de materiais de construção, conectando pessoas com sobras em suas obras e pessoas que procuram materiais com preços mais acessíveis.

Programa – As atividades ofertadas pelo Programa foram divididas em três fases: descoberta, produto e mercado. Através de workshops voltados para o empreendedorismo, consultorias com especialistas do SEBRAE e mentorias com empreendedores e professores da instituição, as equipes acompanharam as etapas da criação de uma empresa startup e desenvolveram suas ideias de projeto. Ao final de cada fase, uma banca avaliou as propostas apresentadas.

Estiveram na última banca da UEL, que definiu as equipes finalistas: Eduardo Bueno, consultor e gestor de startups no SEBRAE/PR; Pedro Eduardo, diretor de produtos (CPO), de experiência (CXO) e de design (CDO) na startup Arbo Imóveis; Gustavo Ishikawa, gestor de inovação aberta no SEBRAE/PR; e Guilherme Eiras, fundador da Yuze e investidor.

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também