Série sobre exploração sexual de crianças estreia na UEL FM nesta quarta-feira (14)

Série sobre exploração sexual de crianças estreia na UEL FM nesta quarta-feira (14)

"Erêndiras de Londrina" é inspirado em conto do Nobel de Literatura Gabriel García Márquez.

publicado por

Agência UEL


No mês da criança, a Rádio UEL FM (107,9 MHz) exibe uma série de reportagens sobre crianças e adolescentes que têm sua infância roubada. A cada 15 minutos, uma criança ou adolescente sofre violência sexual no Brasil. O nome da série, “Erêndiras de Londrina”, é inspirado em conto do Nobel de Literatura Gabriel García Márquez. A estreia será no dia 14, na Revista do Meio-Dia, e vai até 21 de outubro, com seis episódios. A produção é da estudante de jornalismo da UEL, Karem Coluciuc, que realiza projeto de Iniciação Científica no grupo Gabo. 

Numa oficina de jornalismo literário no grupo Gabo de Pesquisa, que se debruça sobre as obras do escritor e jornalista colombiano, Karem conheceu o conto “A incrível e triste história da Cândida Erêndira e sua avó desalmada”, sobre a avó que explorava sexualmente a própria neta, de 14 anos, e resolveu investigar a situação em Londrina. 

(Divulgação)

Na série, a estudante trata da violência estrutural e social que envolve esse crime, além da violência interpessoal e familiar. Muitos casos ocorrem dentro de casa. Ela entrevistou psicólogas, assistentes sociais, promotora, ativistas e também uma vítima, Luciane dos Santos. Hoje formada em Ciências Sociais pela UEL, Luciane foi abusada quando criança pelo avô e, já adolescente, vendida em um leilão. 

O depoimento de Luciane abre a série. No segundo episódio, o maior esquema de exploração sexual em Londrina, de 2015, que teve mais de uma dezena de reús e 50 meninas e jovens exploradas, com entrevista da promotora Suzana Lacerda. Na terceira reportagem, a presidente do Instituto Liberta, Luciana Temer, que esclarece: não existe prostituição infantil e sim exploração sexual. No quarto capítulo, a exploração em forma de pornografia e turismo sexual, além do abuso dentro da próporia casa, muitas vezes com o consentimento de familiares.

Na quinta matéria, as marcas que ajudam a identificar quando a criança sofre algum tipo de abuso, além da ação do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes e do trabalho realizado no Centro de Referência de Assistência Social (Creas III), com mães de vítimas desse crime. Na última reportagem, uma reflexão sobre políticas públicas voltadas à proteção de crianças e adolescentes.

A série traz dados alarmantes, cujas reações são consideradas tímidas para o enfrentamento do problema. O Brasil é considerado o segundo país do mundo em exploração sexual infantil e o quarto em casamento infantil. Segundo o último relatório do Governo Federal, até 2015 o “Disque 100” contabilizou mais de um milhão de denúncias de violência contra crianças e adolescentes. Em 2019, 150 mil crianças e jovens foram vítimas. No Paraná houve mais de 11 mil denúncias de violência sexual entre 2014 e 2018. As denúncias podem ser feitas, de forma anônima e gratuita, para o telefone 100. 

Projeto – Erêndiras de Londrina teve orientação da professora Ciça Guirado, que coordena o projeto Gabo no Departamento de Comunicação Social, com colaboração dos jornalistas José Maschio e Patricia Zanin, pós-produção de Elias Vergennes e vinheta de Gabriel Miazu. Karem Coluciuc contou com apoio da Fundação Araucária, que concedeu bolsa para o projeto de IC. O Grupo Gabo de Pesquisa está na rede social como @blogdogabo, onde estão postados sete podcasts das Erêndiras. 

Serviço

Erêndiras de Londrina

A infância roubada: dia 14, na Revista do Meio-Dia – Série com seis episódios. Produção: Karem Coluciuc.

banner mestrado
banner-03
previous arrow
next arrow
Leia também