Embaixada dos EUA financia segundo projeto das IEES do Paraná

Embaixada dos EUA financia segundo projeto das IEES do Paraná

Também integram o projeto as federais UFPR e UTFPR. Será ofertado curso sobre Inglês como Meio de Instrução.

Mais uma proposta das Instituições Estaduais de Ensino Superior (IEES) do Paraná recebeu financiamento do Relo Office – Escritório Regional de Programas de Língua Inglesa, da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. É a oferta do curso sobre Inglês como Meio de Instrução – English as a Medium of Instruction (EMI) – para a formação de professores da pós-graduação do Estado do Paraná. A primeira proposta a receber financiamento foi a seguinte: Projeto de IEES paranaenses recebe financiamento de Embaixada dos EUA.

A nova proposta EMI for universities in the state of Paraná é coordenada pelas professoras Michele Salles El Kadri, do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas, do Centro de Letras e Ciências Humanas (CCH), Luciana Cabrini Calvo, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), e Taisa Pinetti Passoni, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus de Pato Branco. A iniciativa abrange as sete IEES do Paraná, além das federais UFPR e UTFPR.

(Divulgação)

Como explica a professora Michele Salles El Kadri, coordenadora da proposta na UEL, o financiamento consiste em bancar professor norte-americano para as aulas, por meio do Virtual English Language Specialist Program.  Eles são profissionais doutores com experiência em TESOL, ensino de Inglês para falantes de outras línguas, que são selecionados pelo Relo Office.

Curso – Com início em 22 de outubro, o curso será realizado ao longo de cinco semanas. As aulas serão ministradas pelo professor Christopher Stillwell, da Universidade da Califórnia e do College of the Sequoias, ambos nos Estados Unidos. O objetivo é desenvolver conhecimento teórico-prático sobre EMI, contribuindo, assim, para a oferta de cursos em Língua Inglesa nos cursos de pós-graduação das IEES paranaenses, além de possibilitar a construção de uma comunidade de professores das instituições que ministram ou têm interesse em ministrar aulas em Inglês.

Como são vagas limitadas, os Escritórios de Relações Internacionais e as Pró-reitorias de Pós-graduação das universidades selecionarão os interessados com critérios específicos, conforme políticas internas de cada instituição.

Contribuição – Como explica Luciana Cabrini Calvo, coordenadora da proposta na UEM, essa iniciativa dá oportunidade para o desenvolvimento profissional dos professores que desejam ministrar ou já ministram aulas em inglês. “Ao interagir com o especialista virtual, com as coordenadoras da propostas e com docentes das IEES do Paraná, os participantes do curso aprimorarão seus conhecimentos sobre EMI. Assim, eles poderão implementar essa prática nas aulas, contribuindo para a internacionalização dos cursos”. 

A professora da UEL, Michele El Kadri, afirma que “a proposta dá continuidade a outras iniciativas existentes nas universidades para que a discussão e reflexão sobre o uso do Inglês como meio de instrução aconteça, inclusive a necessidade da problematização dos motivos, razões, contextos que a perspectiva pode trazer para os currículos dos cursos de pós-graduação”.

Já a coordenadora Taisa Pinetti Passoni, da UTFPR, destaca duas vantagens dessa formação online. “Primeiramente, será um espaço para interlocução entre os professores das universidades públicas do Estado, de modo que poderão surgir parcerias entre profissionais de áreas afins. E para nós, que atuamos especificamente com a Língua Inglesa, será um momento para identificarmos as demandas dos docentes, bem como para ressaltarmos a relevância de ações em prol dos idiomas, já que as línguas são ferramentas indispensáveis para internacionalização das universidades, seja para envio ou para recebimento de professores e estudantes”, afirma.

Propostas – A primeira proposta financiada pela Embaixada dos EUA foi o projeto Content and Language Integrated Learning (CLIL) and Technologies for teachers in Paraná, também realizado em parceria entre UEL, UEM e UTFPR, sob coordenação das professoras citadas acima. O público-alvo desta proposta são professores em formação inicial do curso de Letras, com habilitação em Língua Inglesa das três universidades parceiras e professores em serviço. Com início em setembro, o curso segue até este mês de outubro, totalizando 20 horas de carga horária.

As propostas têm apoio da Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (SETI), da Assessoria de Relações Internacionais da UEL e do Escritório de Relações Internacionais UEM.

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também