Professor de História é vencedor no 33º Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia

Professor de História é vencedor no 33º Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia

A Língua Portuguesa deveria ser uma língua dinâmica com regras revistas periodicamente ou deveria continuar a seguir as regras do latim? Quem fazia essa discussão eram censores da Real Mesa Censória, instituição criada também para cuidar da educação, após a expulsão dos jesuítas do Brasil. Este é o objetivo da pesquisa do professor Cláudio Luiz […]

Reinaldo C. Zanardi

Agência UEL


A Língua Portuguesa deveria ser uma língua dinâmica com regras revistas periodicamente ou deveria continuar a seguir as regras do latim? Quem fazia essa discussão eram censores da Real Mesa Censória, instituição criada também para cuidar da educação, após a expulsão dos jesuítas do Brasil. Este é o objetivo da pesquisa do professor Cláudio Luiz DeNipoti, do Departamento de História, do Centro de Letras e Ciências Humanas (CCH) da UEL, um dos vencedores do 33º Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia Governador José Richa.

O professor venceu na categoria “Pesquisador Ciências Humanas e Sociais”, tendo concorrido com outros 26 trabalhos submetidos ao prêmio. “O que eles [censores] debatem tem a ver com como se percebeu o Iluminismo em Portugal, que é o foco de minha pesquisa mais ampla”, explica o professor. “[Isso revela] Como um debate sobre ortografia pode gerar uma discussão sobre liberdade de opinião, ainda que somente entre os censores”, comenta o Cláudio Luiz DeNinpoti.

Professor Cláudio Luiz DeNipoti, do CCH.

Escrita – Ele explica que esse estudo é parte de muitas pesquisas realizadas no âmbito do Centro de Estudos sobre Cultura e Educação nos Impérios Ibéricos (CEIbero), do qual participam pesquisadores de diversas instituições brasileiras e portuguesas. “Neste centro, há um foco grande de pesquisa sobre a ideia de ‘cultura escrita’ em todo o espaço dos impérios português e espanhol durante o século XVIII. Na verdade, desde fins do século XVII até as independências americanas, no início do XIX”. O artigo completo “O “y”, o artigo e as ortografias: a censura e o vernáculo português do século XVIII” foi publicado na Revista Brasileira de História. Acesse – AQUI – o texto completo.

Conforme o professor, o artigo explora um debate secreto entre vários censores portugueses, em 1771, sobre dois livros de ortografia: o “Resumo da grammatica da lingua portuguesa”, de Antonio José dos Reis Lobato e “Breve tratado da orthografia, para os que não frequentam os estudos, ou dialogos sobre as mais principaes regras da orthografia, uteis para o povo menos instruido, accrescentado com hum dialogo da prozodia portugueza”, de João Pinheiro Freire da Cunha. 

“Em oito pareceres escritos sobre esses dois manuais, submetidos à Real Mesa Censória para análise quanto a sua publicação, os censores avançaram debates sobre ortodoxia e pluralismo, liberdade de expressão e avanço científico, ao mesmo tempo que buscaram estabelecer parâmetros para firmar um vernáculo oficial da língua portuguesa, expandindo para além da proibição de livros a ideia de censura que é tradicionalmente vista pela historiografia”, afirma o professor Cláudio Luiz DeNinpoti.

Premiação – O 33º Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia é realizado pelo Governo do Paraná, por meio da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Ao todo, são nove categorias: “Pesquisador Ciências Humanas e Sociais”, “Pesquisador Ciências Agrárias”, Pesquisador-Extensionista – Ciências Humanas e Sociais”, Pesquisador-Extensionista – Ciências Agrárias”, Estudante de Graduação – Ciências Humanas”, “Estudante de Graduação – Ciências Agrárias”; “Inventor Independente – Ciências Humanas e Sociais”, “Jornalismo Científico – Ciências Humanas e Sociais” e “Jornalismo Científico – Ciências Agrárias”.

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também