Pesquisadores são referência mundial em biologia, saúde, química e biotecnologia

Pesquisadores são referência mundial em biologia, saúde, química e biotecnologia

Eles pertencem a vários programas de pós-graduação: Waldiceu Aparecido Verri Junior, Suzana Mali de Oliveira, Claudia Bueno dos Reis Martinez; Fábio de Oliveira Pitta e César Ricardo Teixeira Tarley.

Cinco pesquisadores da UEL estão entre os melhores do mundo, segundo a PLOS Biology Journal, publicação criada em 2003, pela organização Plos, baseada em São Francisco (EUA). Os pesquisadores são professores de vários programas de pós-graduação: Waldiceu Aparecido Verri Junior, Suzana Mali de Oliveira, Claudia Bueno dos Reis Martinez; Fábio de Oliveira Pitta e César Ricardo Teixeira Tarley. Ao longo desta reportagem, os pesquisadores falam sobre seus objetos de estudo e destacam o reconhecimento pela publicação internacional.

A menção aos cinco professores da UEL revela o esforço para a internacionalização da Universidade, mas principalmente reconhece o conhecimento produzido pela instituição. “Anualmente os nossos pesquisadores publicam de 1.800 a 2.000 artigos científicos em periódicos que possuem avaliação por pares, considerando todas as áreas do conhecimento”, afirma o professor professor Eduardo de Almeida Araújo, diretor de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG).

Cinco pesquisadores foram citados por periódico internacional

Artigos e citações – Ele explica que o artigo da PLOS Biology Journal divulga duas listas. A primeira estabelece um ranking de pesquisadores que tiveram maior número de citações durante sua carreira. A segunda ranqueia pesquisadores que tiveram maior número de citações durante 2019. “O artigo usou uma metodologia complexa que, em resumo, relaciona o número de artigos publicados por um pesquisador e o número de citações que esses artigos tiveram, neste caso considerando textos indexados pela base de dados: Scopus”, explica Eduardo Araújo.

Segundo ele, todos os artigos para serem publicados em periódicos científicos com revisão por pares passam pelo crivo de um grupo de pesquisadores. “Isso já é uma forma de reconhecimento da relevância da pesquisa, incluindo o uso adequado de metodologias em relação aos objetivos propostos pelos autores”, afirma. “Somam-se a esse reconhecimento, as citações que um artigo recebe quando referido em outros trabalhos publicados. Em outras palavras, cada vez que um artigo é citado por autores diferentes aumenta-se o reconhecimento da relevância da pesquisa realizada”.

Os pesquisadores da UEL constam na segunda lista, entre os que publicaram maior número de artigos com maior número de citações na base de dados Scopus durante 2019. “São nomes que estão sendo reconhecidos nacional e internacionalmente pela relevância do que têm investigado”, comenta o professor. A UEL tem em seus quadros 92 professores mestres e 905 professores doutores, muitos com atuação também nos programas de pós-graduação.

A Universidade conta com 48 cursos de mestrado e 32 de doutorado. São 1.111 estudantes matriculados nos doutorados e 1.653 estudantes matriculados nos mestrados da UEL. Em 2019, a UEL formou 175 doutores e 527 mestres. Em 2020 (até agora), são 99 doutores e 301 mestres. O número menor, neste ano, é creditado ao impacto da pandemia de COVID-19, causada pelo novo coronavírus.

Suzana Mali de Oliveira do Departamento de Bioquímica e Biotecnologia, do Centro de Ciências Exatas (CCE)

Satisfação – Nos últimos anos, a professora Suzana Mali de Oliveira tem trabalhado no emprego de biopolímeros e resíduos da agroindústria em diferentes aplicações, incluindo a extração de celulose e nanocelulose por meio de processos com a  mínima geração de efluentes. Além disso, suas pesquisas visam o desenvolvimento de novos materiais que objetivam a produção de sistemas de embalagens biodegradáveis, bioinsumos para agricultura e sistemas de liberação de compostos ativos para uso na área farmacêutica. 

“A [minha] reação ao saber [da publicação internacional] foi de satisfação pelo reconhecimento de um trabalho bastante sério que fazemos aqui na UEL. É importante ressaltar que a pesquisa e o trabalho do pesquisador é um trabalho em conjunto. Temos parcerias bastante sólidas aqui na UEL há muito anos”, destaca a professora. Ela cita professores e estudantes de mestrado e de doutorado dos Programas de Pós-Graduação em Biotecnologia, do CCE, e em Ciência de Alimentos, do Centro de Ciências Agrárias (CCA). 

Ela cita a importância do reconhecimento internacional e espera que isso cause impacto positivo na educação. “Gostaria que a educação e a pesquisa fossem mais valorizadas no nosso País de forma geral”, afirma. Para ela, os maiores desafios de se fazer pesquisa é driblar as dificuldades financeiras e de infraestrutura, muitas vezes, pagando reagentes e insumos com dinheiro do próprio bolso. “Mesmo assim, vemos pesquisadores brasileiros sendo considerados relevantes e com pesquisa de elevado impacto em nível mundial. É uma grande vitória, ainda mais se compararmos os recursos que pesquisadores de outros países têm à disposição”.

Professor Waldiceu Aparecido Verri Junior Departamento de Ciências Patológicas

Medicamentos – O professor Waldiceu Aparecido Verri Junior Departamento de Ciências Patológicas investiga mecanismos fisiopatológicos de doenças para o desenvolvimento de novos medicamentos para tratamentos de doenças e sintomas das doenças investigadas. A abordagem de suas pesquisas está relacionada à dor e processos inflamatórios. Ele coordena o Laboratório de Pesquisa em Dor, Neuropatia e Inflamação, do CCB. A partir da dor, neuropatia e inflamação, suas pesquisas investigam doenças como alguns tipos de câncer (neoplasia), artrite reumatóide e artrites sépticas infecciosas.

Ele afirma que ficou sabendo da menção ao seu nome na PLOS Biology Journal, por um professor que enviou e-mail. “Minha primeira reação foi verificar do que realmente se tratava o trabalho. Porque não é um artigo da minha área que eu fique buscando”, afirma o professor. “É um índice que traz reconhecimento, divulgação. Estamos trabalhando aqui, com nossas dificuldades e limitações. E estamos fazendo o melhor trabalho possível’’. Ele cita que as bases de dados são importantes, porque são usadas pelas agências de fomento, como métrica, para seleção de projetos em editais de financiamento. Além da Scopus, ele lembra o Google Scholar.

O professor lembra que muito se fala da inovação, de desenvolvimento de produtos, mas se esquece do papel da pesquisa básica nesse processo. Para ele, a inovação está na primeira ideia, na primeira vez que que um conceito foi aplicado, algo que não tinha sido falado antes. “Quando se fala em inovação, hoje, o pessoal tem esquecido que pesquisa básica traz a inovação real. As outras etapas vieram por causa dela”. Nesse contexto, Waldiceu Verri Jr destaca a pesquisa como ferramenta ativa de ensino que envolve estudantes de iniciação científica (graduação) e de pós. “Estamos fazendo um ensino de alta qualidade na UEL”.

“Eu busco entender as adaptações fisiológicas de animais ao ambiente aquático. Minha pesquisa é voltada, principalmente, para entender como peixes, alguns invertebrados [bivalves, crustáceos, anfíbios] respondem às alterações da água”. Os estudos da professora Claudia Bueno dos Reis Martinez, do Departamento de Ciências Fisiológicas, têm o objetivo de avaliar os efeitos de metais como cobre, cádmio, arsênio, chumbo nos animais. Ela lembra que a contaminação do meio ambiente ocorre de atividades industriais, de mineração e presentes em agrotóxicos. A professora afirma que pesquisa, também o efeito de medicamentos e microplástico, enquanto contaminantes de cursos d’água. Confira o áudio.

Claudia Reis Martinez afirma que ficou surpresa com a inclusão do seu nome entre os cientistas mais influentes, listados pela Plos Biology Journal. “Fiquei muito honrada. É um reconhecimento pelo nosso trabalho, que venho desenvolvendo há 30 anos na UEL, junto ao meu grupo de pesquisa. Claro que é um trabalho que a gente não desenvolve sozinha. É um trabalho de colaboração, um trabalho de grupo, sempre com muita dedicação”. Ela destaca o papel dos estudantes de iniciação científica, de mestrado e de doutorado nos trabalhos de campo.

Claudia Bueno dos Reis Martinez do Centro de Ciências da Saúde (CCS).

A professora cita que apenas 0,5% dos pesquisadores listados pela publicação é brasileiro. Para ela, esse baixo número revela a falta de investimentos das instâncias de governo em pesquisa e ciência.  “Isso é reflexo do investimento que o nosso país tem feito. Um investimento que, infelizmente, tem diminuído ao longo dos últimos anos”. Para ela, se não houver mudança, a tendência é reduzir ainda mais a presença de brasileiros no cenário internacional. “Nós temos uma capacidade muito grande de fazer pesquisa de qualidade, mas precisamos de mais apoio”.

“O maior objeto de pesquisa em nossos estudos é a atividade física diária e o exercício físico em pacientes com problemas respiratórios. Fazemos estudos clínicos com diferentes tipos de exercícios para analisar qual é mais benéfico para essa população”. A explicação é do professor Fábio de Oliveira Pitta, acerca do objeto de suas pesquisas. Ele é responsável pela Assessoria de Relações Internacionais (ARI), da UEL.

Fábio de Oliveira Pitta, professor do Departamento de Fisioterapia, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) (FOTO: Arquivo/COMUEL).

O maior público é o paciente de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). O grupo também aborda pacientes com doenças intersticiais pulmonares, asma e pós-queimadura. O professor explica que, também, desenvolve estudos em que avalia o impacto do nível de sedentarismo, da inatividade física, da dispneia, da limitação nas atividades diárias, do sono, da composição corporal e das disfunções nos sistemas respiratório e muscular, além dos prejuízos à qualidade de vida dos pacientes. 

O professor disse que ficou feliz pelo reconhecimento a partir da citação na Plos Biology Journal. “Mas o que mais me deixa contente é poder compartilhar esse reconhecimento com todos os parceiros que colaboram ou já colaboraram para que isso fosse possível”, destaca o professor. “Tenho convicção que esse reconhecimento internacional certamente não é um mérito individual mas sim coletivo, pois o compartilho com todos os pesquisadores e alunos com quem já trabalhei e, também, de forma mais ampla com toda a comunidade científica da UEL”.

César Ricardo Teixeira Tarley, professor do Departamento de Química, do Centro de Ciências Exatas (CCE).

Técnicas – “Desenvolvemos métodos de análise química com ênfase em amostras de interesse forense, alimentício, clínico e ambiental. Por exemplo, a determinação de metais potencialmente tóxicos, drogas ilícitas, fármacos e poluentes emergentes”. A explicação é do professor César Ricardo Teixeira Tarley, que lidera o Laboratório de Desenvolvimento de Métodos Analíticos (LADEMA). “Para tanto, são desenvolvidos sensores eletroquímicos e métodos de pré-concentração associados com técnicas espectrométricas atômicas e técnicas cromatográficas. Buscamos maior rapidez nas análises, menor custo e maior seletividade e sensibilidade”.

O professor comenta que não esperava ver seu nome no artigo da Plos Biology Journal. “Entre tantos pesquisados no mundo trabalhando com linhas de pesquisa de ponta estar entre os 80 químicos/pesquisadores mais influentes no Brasil me deixou muito honrado”, afirma. “O ranking é feito com base na qualidade científica dos trabalhos publicados, inovação tecnológica, visibilidade e citação. Em 10 anos de docência na UEL tive a oportunidade de consolidar minha carreira científica rapidamente e devo muito aos alunos, colaboradores e ao Departamento de Química”.

Segundo o professor, o ranking enaltece a inserção do pesquisador no cenário internacional e  mostra que as  pesquisas realizadas pelo LADEMA da UEL atrai a atenção de pesquisadores pelo mundo. “Como pode ser atestado por mais de 4 mil citações. Esse reconhecimento pode impactar positivamente no Programa de Pós-Graduação em Química em que atuo”.

pss professor uel
especializaçao pos uel
isenção vestibular uel
PSS-UEL
especializacao-uel-2022
isencao-vestibular-uel-2023
previous arrow
next arrow
Leia também