Projeto de ensino colabora com cálculos e relatórios sobre o índice da cesta básica

Projeto de ensino colabora com cálculos e relatórios sobre o índice da cesta básica

Parceria entre UEL e UTFPR (Campus Londrina) imprimiu agilidade ao levantamento mensal.

O índice da cesta básica em Londrina aumentou 2,22% em setembro, segundo divulgação feita no último dia 30. O número indica que o preço foi para R$ 529,90 – contra R$ 518,42 de agosto. O cálculo desse índice ganhou mais agilidade desde o ano passado, por meio de uma parceria do projeto de extensão da UEL “Econostat: Grupo de Extensão em Estatística Econômica” com o Núcleo de Pesquisas Econômicas Aplicada (NUPEA) da Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR), Campus Londrina.

Em Londrina, o cálculo e a divulgação desse índice são feitos desde maio de 2001, pelo professor e economista, Flavio de Oliveira Santos. Atualmente, o NUPEA é responsável pela coleta dos valores dos produtos que compõem a cesta básica e pela definição dos supermercados, que irão compor a amostragem. A participação do projeto Econostat é no cálculo e elaboração de relatórios a partir da utilização de um software livre e gratuito, chamado R, cujo principal benefício é imprimir rapidez ao processo.

(Divulgação).

Análises estatísticas

Segundo Lucas Santana da Cunha, professor do Departamento de Estatística, do Centro de Ciências Exatas (CCE), e coordenador do projeto Econostat, o R é voltado para análise estatísticas, sendo um dos mais utilizados entre os pesquisadores do mundo todo. No projeto, é utilizado também o pacote R Markdown, que “faz o meio de campo do conteúdo com a análise”. O professor da UEL explica que é só entrar com dados novos e o software atualiza as informações, gerando o relatório novo. “Com isso ganha-se tempo na formulação desses relatórios, porque 70% da confecção já é feita de forma automática”, afirma.

Lucas Cunha se diz satisfeito em atuar em conjunto com o coordenador do NUPEA, Marcos Rambalducci, professor da UTFPR-Londrina, uma vez que contribui com os estudos, dando mais agilidade à tabulação dos dados estatísticos. Como próxima etapa da parceria, serão realizados estudos e análises sobre o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) de Londrina e região.

Projeto de extensão e ensino

O Econostat é cadastrado como projeto de extensão e ensino. A parte de ensino capacita os estudantes do curso de Ciências Econômicas, do Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESA), onde o professor leciona há seis anos. Eles aprendem o conteúdo sobre o software R e montam materiais, que podem ser utilizados pelas comunidades internas e externas – aí a parte da extensão.

Além de relatório de índices, como o da cesta básica, já foram produzidos materiais didáticos, apostilas, tutorias em linguagem de programação para sites, com auxílio dos pacotes do R: “Blogdown” e “Bookdown”. Todo o material está disponibilizado no site do Grupo Econostat.

Com essa capacitação para utilizar o software R, Lucas Cunha afirma que os estudantes conseguem aliar as análises econômicas, estudadas no curso, com a programação de um software estatístico, o que faz com o que “o aluno se torne um profissional bastante diferenciado” para o mercado.

Integrantes – Participam atualmente do projeto os estudantes de Ciências Econômicas Elton Massahiro Saito Loures, João Pedro Butinholi Almeida e Kevin Gustavo Alves de Oliveira; além dos professores Nicole Caldas Pan, do Departamento de Estatística, do CCE, e Michel Augusto Santana da Paixão, do Departamento de Economia, do CESA; e o colaborador externo Paulo Vitor Missaka.

Divulgação do vestibular da UEL - 2021
Leia também